Vou contar um segredinho para vocês...

No Rio de Janeiro, só há uma opção mais concreta para um profissional que quer alçar voos mais altos em 2022

  • Nosso Mundo | Eugenio Goussinsky, do R7

Desejo de trabalhar no Rio de Janeiro

Desejo de trabalhar no Rio de Janeiro

Diego Vara/EFE/23-09-2020

Vou contar um segredinho para vocês. A maioria até já sabe, mas ninguém quer falar. Nem eu, neste momento. Mas, que eu penso, eu penso, com todo o respeito. Alguém que trabalhou muito quer tirar um tempo de descanso no Rio de Janeiro.

Curtir a praia, o mar, a atmosfera descontraída e ensolarada da cidade. Tomar água de côco, se banhar no mar de Ipanema, ficar sentado à esmo olhando o horizonte. 

Mas, agora, o mundo dele é o Rio de Janeiro. Trabalhar lá, seria unir o útil ao agradável. Nada melhor do que cruzar as ruas da cidade, janela aberta do carro, com o vento da Lagoa entrando e a vista do Cristo Redentor.

O Rio de Janeiro continua lindo. Mesmo nesses tempos de redes sociais, em que, por um lado, as cobranças, os julgamentos e as ofensas se tornaram um exercício de insanidade permitido. Uma antítese do que seria a psicanálise. Um exacerbamento do outro como foco das frustrações.

Isso tem permitido que muitos usem esse instrumento e escorreguem nele. Opinião pública e imprensa. Acontece que há um profissional, que também trabalha no Rio, que está pressionado, mesmo tendo obtido dois êxitos em campanhas recentes com seu grupo.

Nesta semana, ele conseguiu uma vaga para outra etapa. E foi imensamente criticado por um trabalho que, no fim, deu certo. E com um membro a menos na equipe, desde quase o início. Até ousou, como tanto se pede entre os jornalistas, mas, contraditoriamente, foi atacado por isso.

Para aquele que quer descansar, nem mesmo um desafio tentador de trabalhar em São Paulo, em um local de imensa visibilidade, foi aceito.

E olha que não há tanto tempo assim para descansar, já que ele sonha em assumir um cargo de repercussão internacional no fim de 2022. Teria de mostrar serviço logo.

E no Rio de Janeiro, só há uma opção mais concreta. Dois trabalhos são improváveis neste momento, por estarem em um patamar inferior ao desejado.

A outra possibilidade é complicada, por também estar em formação. Só resta uma, e não há muito tempo. Nela, porém, o profissional achincalhado por muitos continua na função.

Vou contar um segredinho, mas só se vocês aumentarem meu Instagram de 77 para 100 seguidores...

Veja clubes que mais valorizaram seus elencos no futebol brasileiro

Últimas