Atleta cai perto da linha de chegada e atitude de adversários viraliza

Jamel Melville desmaiou no final da maratona, mas conseguiu terminar a corrida porque alguns atletas deixaram a competitividade de lado para ajudá-lo

No começo de novembro, em Nova York, os atletas tiveram a oportunidade de voltar a competir a Maratona de Nova York, que havia sido cancelada em 2020 por causa da pandemia de Covid.  Inscreveram-se para correr os 42 quilômetros 33 mil pessoas. E, diante de tantos esforços para concluir a competição, um simples gesto chamou a atenção do mundo.

Jamel Melville, de 39 anos, já tinha percorrido 41,8 quilômetros e estava perto de concluir o desafio, mas, devido à exaustão, perdeu suas forças, desmaiou e caiu. Alguns corredores que estavam próximos a ele decidiram parar e ajudá-lo. Eles o levantaram e o carregaram até a linha de chegada.

Gesto de gentileza perto da linha de chegada da corrida foi considerado o momento mais memorável ​​da Maratona de Nova York

Gesto de gentileza perto da linha de chegada da corrida foi considerado o momento mais memorável ​​da Maratona de Nova York

Reprodução

Tal atitude emocionou o público, que aplaudiu incessantemente. A cena, divulgada nas redes sociais, já recebeu milhões de visualizações. "É um pequeno momento que deu uma esperança para o mundo. Isso representa humanidade! Pensei que as pessoas mereciam ver isso", afirmou Andie Kent, que registrou a gentileza, à emissora americana WABC-TV.

O corredor que recebeu a ajuda declarou que jamais pensou que seus concorrentes iriam parar. "Eles passaram por mim e decidiram me ajudar, nunca esquecerei essa atitude."

Melhor que competir

Quando falamos em esportes, estamos falando também sobre competição; afinal, quem chega em primeiro lugar ou quem vence uma partida tem mais destaque que os demais.

Nas outras áreas da vida, não costuma ser diferente. As pessoas normalmente buscam reconhecimento. Muitos fazem isso de forma correta, se dedicando e se preparando, já outros usam atalhos, têm atitudes imorais e até prejudicam o próximo, se for preciso.

Porém, o que aconteceu com Jamel Melville nos faz lembrar que a competição pode tornar uma pessoa egoísta e que, muito melhor do que querer sempre chegar em primeiro, é aprender a ter um olhar solidário para ajudar o próximo a se levantar e também ser vitorioso.

Sacrifícios necessários

Fomos criados para ter um olhar competitivo e para lutar para ser sempre o melhor. Assim, nós nos submetemos a uma série de renúncias diárias, em busca de uma vida bem-sucedida.

O corredor ficou surpreso com a atitude dos adversários e disse que não vai esquecer a ajuda que recebeu

O corredor ficou surpreso com a atitude dos adversários e disse que não vai esquecer a ajuda que recebeu

Reprodução

É fato que todo ser humano quer vencer, porém o conceito de vitória está muito deturpado na sociedade atual. Isso porque o verdadeiro vencedor não é quem tem mais dinheiro ou quem sempre ganha tudo, mas aquele que não perde a humildade e estende a mão para quem precisa.

Os sacrifícios são necessários para conquistar uma vida plena, e não há nada de errado em fazê-los, afinal precisamos fazer sacrifícios se queremos ser felizes. Só que chegar em primeiro lugar, vencer ou alcançar algo que desejamos não significa deixar de ser gentil. O ego não pode sobrepujar a humanidade que há em nós.

Os nossos objetivos, sejam eles quais forem, precisam nos levar a ser pessoas melhores. Se isso não está acontecendo, com certeza as metas estão erradas e só trarão prejuízos.

Porque muito mais gratificante do que simplesmente vencer é reconhecer quem está ao nosso lado e inspirar outras pessoas a realizar seus sonhos.

Últimas