Declaração polêmica da filha de Olavo e a importância do respeito

Escritor e filósofo faleceu nesta terça-feira (25), e críticos comemoram sua morte

Nesta terça-feira (25) morreu o escritor e filósofo Olavo de Carvalho. Ao que tudo indica, o intelectual foi mais uma vítima da Covid-19. Segundo a nota divulgada em seu perfil oficial, ele estava internado em um hospital em Richmond, na Virgínia, EUA.

Olavo testou positivo para a Covid-19 no último dia 16 de janeiro, era cardiopata e portador da doença de Lyme, infecção causada por carrapato e que provoca irritações na pele e sintomas como os da gripe.

Após a divulgação de sua morte, uma chuva de comentários tomou conta da internet. Enquanto algumas pessoas lamentaram a perda, tantas outras comemoraram a partida. No Twitter, hashtags como "grande dia" e "CPF cancelado" ficaram em destaque.

Olavo de Carvalho faleceu nesta terça-feira, aos 74 anos

Olavo de Carvalho faleceu nesta terça-feira, aos 74 anos

Vivi Zanatta/Folhapress - 16.04.2019

Entre os que fizeram posts de ódio está o ator José de Abreu. "Morreu o pai do bolsonarismo. Falta o filho", escreveu o ator, fazendo referência ao escritor e ao presidente Jair Bolsonaro.

A filha de Olavo, Heloísa de Carvalho, não tinha um bom relacionamento com o pai e publicou a seguinte mensagem: "Que Deus o perdoe de todas as maldades que cometeu". Eles não se falavam desde 2017, mas, apesar disso, ela discordou da postura de desrespeito das pessoas que não concordavam com a ideologia dele. "Comemorar a morte de qualquer pessoa é assinar o atestado de total falta de humanidade. Deus tá vendo, e eu também", acrescentou.

Respeito sempre

Esse tipo de postura só revela o que as pessoas são de verdade. De que adianta pregar uma coisa e viver outra? Ou seja, falar de amor e respeito e agir com ódio e desrespeito quando não se gosta de alguém?

Olavo de Carvalho emitia suas opiniões sobre assuntos políticos, muitas delas polêmicas e das quais discordo, mas o não concordar não dá passe livre para agredir.

O ser humano está cada vez mais intolerante com o pensamento do outro, achando-se no direito de atacar, denegrir e cancelar.

Maturidade é saber entender o diferente. Não precisamos conviver nem concordar, mas respeitar deveria ser obrigatório.

Se o respeito não fosse algo tão seletivo, com certeza o mundo seria muito melhor para viver e conviver com o próximo.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas