Documentos revelam que Johnny Depp foi abandonado pela própria mãe

Ator cresceu em um ambiente tóxico e disse que sofreu com a ausência do pai e abandono materno

Documentos do divórcio de John Depp e Betty Sue Wells, pais do ator Johnny Depp, divulgados pelo site norte-americano Page Six, revelam que o ele foi abandonado pela mãe quando estava com 15 anos.

Um trecho do pedido solicitava a emancipação de Johnny e justificava que ele já era "independente e autossustentável". Em entrevista ao site, o pesquisador Paul Barresi afirmou que o astro sofreu muito com essa decisão.

O ator Johnny Depp teria sofrido muitas consequências emocionais por conta do abandono afetivo de sua mãe, Betty Sue Wells

O ator Johnny Depp teria sofrido muitas consequências emocionais por conta do abandono afetivo de sua mãe, Betty Sue Wells

RON GALELLA / WIREIMAGE

"Ele passou a usar drogas para fugir dos problemas familiares, além disso, não era autossuficiente financeiramente e estava longe de qualquer independência. A mãe se afastou dele exatamente quando ele mais precisava dela", revelou.

Há alguns anos, Johnny Depp detalhou em entrevista à revista norte-americana Rolling Stone a difícil relação que tinha com os pais. "Minha mãe usava drogas e meu pai era ausente. Aconteciam agressões sem nenhum sentido. Às vezes eram cinzeiros voando na minha direção, em outras apanhava com o telefone. Era uma casa fantasma, ninguém falava nada. A minha mãe talvez tenha sido o pior ser humano que conheci na minha vida".

Refém do passado?

Essas informações vieram à tona em um momento complicado da vida de Johnny Depp. Ele está sendo acusado pela ex-esposa, a atriz Amber Heard, de violência doméstica. Apesar de negar a acusação, todo o processo tem gerado consequências, ele chegou até mesmo a ser afastado de seus trabalhos no cinema.

O que chama atenção em toda a história é que, assim como o ator, muitas pessoas também sofreram com a desestruturação familiar na infância e vivem até hoje as sequelas dela. Afinal, se uma separação traz transtornos e sofrimentos para o casal, imagine o que causa nos filhos, especialmente nas crianças?

O ator afirma que tem sofrido boicote por conta de acusação da sua ex-esposa, a atriz Amber Heard

O ator afirma que tem sofrido boicote por conta de acusação da sua ex-esposa, a atriz Amber Heard

Divulgação

Uma família bem estruturada é o pilar para uma sociedade desenvolvida e de uma pessoa bem-sucedida. Mas, muitas estão se desintegrando e deixando feridas graves.

A quantidade de crianças que apresenta problemas emocionais aumenta ano a ano. Segundo dados da Universidade de São Paulo (USP), o Brasil lidera o ranking de 11 países em número de casos de depressão e ansiedade em crianças e adolescentes. Isso sem falar da taxa de suicídio em crianças de 10 a 14 anos que nos últimos 15 anos aumentou 200%.

Todos esses dados mostram que é preciso olhar com mais cuidado para o ambiente onde os pequenos estão crescendo.

Além disso, é preciso que aqueles que passaram por traumas familiares aprendam a exercitar o perdão e, mesmo que não tenham tido bons exemplos para seguir, busquem novas referências positivas. Não se pode aceitar ser refém dos sofrimentos para o resto da vida. Não é possível mudar o passado, mas é possível reconstruir o presente para viver de forma diferente.

Últimas