O que explica um criminoso cruel como Lázaro ser amoroso com a esposa?

Especialistas ouvidos pelo blog revelam como funciona a mente de um psicopata e reforçam a importância de desenvolver inteligência emocional para não cair em armadilhas 

Estupros, homicídios, roubos. Lázaro Barbosa cometeu muitos crimes ao longo da vida. Foi preso diversas vezes, fugiu, foi recapturado, conseguiu atestado de bom comportamento, cumpriu pena em regime semiaberto, foi detido novamente e escapou. Na última fuga, matou uma família de quatro pessoas em Ceilândia, no Distrito Federal. Um crime cruel, sem chance de defesa. Assim, uma verdadeira caçada iniciou.

Lázaro foi capturado e morto na segunda-feira, após 20 dias de buscas intensas que reuniram policiais militares, federais, helicópteros, drones, cães farejadores e uma cobertura da imprensa digna de filme de terror.

Quem é esse homem? Como ele conseguiu fugir tantas vezes dos Centros de Detenção? Quem o ajudou a sobreviver tantos dias dentro da mata? Como ele pode ter tido um bom comportamento quando estava preso, sendo que tem um perfil tão assombroso?

Esposa de Lázaro em entrevista exclusiva com o jornalista Roberto Cabrini

Esposa de Lázaro em entrevista exclusiva com o jornalista Roberto Cabrini

Reprodução / Record TV

Um currículo que revela crimes doentios nos faz pensar que ele não tinha amigos, mas ao que tudo indica, havia sim outras pessoas ajudando ele e se está investigando o porquê. Além disso, sua atual esposa, Helen, que tem uma filha de dois anos com Lázaro, lamentou a morte do companheiro e disse que ele era um ótimo marido. "Era uma pessoa maravilhosa com a gente, amoroso, cuidadoso e ótimo pai. Vou passar essa imagem dele à nossa filha".
 
Além dela, outras pessoas que conviveram com o criminoso disseram que não imaginavam que ele era capaz de cometer tais crimes, afinal, parecia ser uma pessoa tranquila. Por isso, de acordo com a psicóloga Osmarina Yvel, em primeiro lugar, é essencial entender o perfil dele, ao cometer os crimes. "Ao que tudo indica, Lázaro não feria as pessoas que tinha empatia, o fazia quando não havia vínculo afetivo".

Para a psiquiatra Roberta França, uma pessoa como Lázaro finge ter vários perfis. "Ele era, claramente, um psicopata, tinha um transtorno de personalidade. Mas, conseguia manipular as pessoas que convivia. Muitas vezes, um psicopata consegue parecer 'encantador' e, se a vítima não tiver inteligência emocional, não percebe a maldade que está no interior daquele indivíduo", observa.

A especialista reforça também que "nem de longe" o psicopata é uma pessoa doce. "O bom comportamento é característica do psicopata, porque ele age da forma que sabe como esperam que ele aja. Está aí a justificativa por ele ter conseguido condicional por bom comportamento. Foi tudo fingimento".

Depois de 20 dias, Lázaro foi capturado pela polícia

Depois de 20 dias, Lázaro foi capturado pela polícia

Reprodução / Record TV

Realidade falsa

Dessa forma, podemos afirmar que todas as emoções de um psicopata são forjadas. "Eles são verdadeiros atores, além disso, são seres extremamente observadores. Costumam possuir e desenvolver inteligência acima da média, além de serem pessoas charmosas e sedutoras. Assim, mentem muito e agem com frieza, ou seja, não têm qualquer sentimento de culpa", observa a psicóloga Cláudia Melo.

Os psicopatas conseguem passar muito tempo despercebidos dentro de alguns ambientes, mas isso não significa que, em outros locais ou com outras pessoas, não vão mostrar quem são de verdade. "Quando eles têm um propósito ou algum tipo de interesse, olham para as pessoas como presas, porque visam conquistar algum tipo de poder, status, prazer ou diversão", detalha a especialista.

Cláudia traz uma revelação importante: nem todos os psicopatas são assassinos, como Lázaro. "Temos o que chamamos de perfil leve, moderado e grave. Mas, todos deixam um rastro de destruição, seja nas emoções, nas finanças, nas relações entre outros".

Especialistas explicam como um psicopata age em suas relações

Especialistas explicam como um psicopata age em suas relações

Reprodução / Record TV

Desenvolvendo inteligência

Por isso, quem vê apenas a aparência, realmente, não vê o que está no coração, no interior do outro. Há tantas pessoas por aí que, na nossa frente, são educadas, mas, na primeira oportunidade, fazem fofocas e destilam ódio ao nosso respeito.

Há tantas outras que fazem de tudo para conquistar alguém que têm posses, visando enriquecer. Sem falar naquelas que chegam a ter o perfil de Lázaro, que matam, roubam e estupram.

Assim, a melhor forma de se prevenir dos psicopatas soltos por aí, é desenvolvendo a inteligência emocional, a autoconfiança e o amor próprio, para não acreditar em tudo o que se houve.

Porque o que realmente vale na vida e nos relacionamentos são as atitudes. Parece clichê, mas a melhor forma de se blindar de pessoas que tenham esse perfil é observando o que elas fazem e não apenas o que elas falam.  

Últimas