Político revela que forjou câncer para ser eleito e renuncia ao cargo

Rodrigo Rojas liderou protestos em 2019 e se destacou com discursos baseados em suposta luta pessoal contra doença grave

A Convenção Constitucional Chilena, órgão que redigirá a nova Constituição do país, anunciou, no domingo, a renúncia do constituinte Rodrigo Rojas, de 37 anos, um dos 155 eleitos em maio para esta missão. Rojas liderou os protestos de 2019 e disse – durante toda sua campanha eleitoral – que estava sofrendo com um câncer. Mas, no sábado, ele confessou ter fingido estar com uma doença grave para conseguir se eleger.

Rodrigo Rojas enganou a população para se eleger

Rodrigo Rojas enganou a população para se eleger

Reprodução

O político, que era um dos sete vice-presidentes do órgão, alegou repetidamente que sofria de leucemia e pediu mudanças no sistema de saúde chileno.

Rojas tornou-se um dos rostos mais emblemáticos dos protestos ao divulgar cartazes com dizeres: "Eu não luto contra o câncer, luto para pagar a quimioterapia", entre outros, que o tornaram símbolo do sofrimento vivenciado pelos pacientes.

Assim, se destacou na Lista do Povo (grupo independente da esquerda chilena) e, em maio, ganhou 27 das 155 cadeiras da assembleia constituinte. De lá para cá continuou seu discurso e campanha em torno da suposta doença.

Porém, no sábado, após jornais divulgarem que ele nunca teve câncer, o político admitiu que mentiu o tempo todo e disse que sofre com outro problema de saúde "estigmatizado pela sociedade", mas não revelou o que seria. A população ficou revoltada e essa já é considerada uma das principais fraudes da história eleitoral chilena.

"Lamentamos profundamente o que aconteceu e sentimos empatia (nos identificamos) com a dor que esta situação causa", afirmou a Convenção Constitucional em nota.

Pior caminho

A atitude do político mostra que, por mais que uma mentira convença por um tempo, a verdade sempre vem à tona e, quando ela aparece, o que sobra é a vergonha do que foi feito.

Mentir para se autopromover não deveria ser uma opção, mas é mais comum do que se imagina. Há quem altere informações no currículo e que fale inverdades sobre si para conseguir um emprego, por exemplo, ou então que invente conquistas para aparentar ser uma pessoa bem-sucedida.

Para agradar, por medo, por interesse ou por vingança. A mentira está presente no cotidiano da sociedade de diversas formas e há muitas desculpas para utilizá-la. Segundo estudos, o ser humano aprende a mentir na infância e repete esse comportamento com o intuito de escapar de uma punição ou de obter alguma recompensa. 

Após a imprensa revelar a verdade, Rojas confirmou que nunca teve câncer e renunciou ao cargo

Após a imprensa revelar a verdade, Rojas confirmou que nunca teve câncer e renunciou ao cargo

Martin Bernetti / AFP

Mas, Abraham Lincoln já dizia que "nenhum mentiroso tem uma memória suficientemente boa para ser um mentiroso de êxito".

A verdade, sempre!

A sociedade está frágil, as pessoas têm dificuldades para crer nos discursos, sobretudo dos políticos, porque estão cansadas de ver comportamentos imorais. 

Isso porque a mentira é a atitude mais ignorante que se pode ter, porque ela nunca traz nada de bom, seja para quem a fala ou para quem a ouve, sem falar que acaba com qualquer crédito de confiança, mina relações e traz consequências graves, por vezes, irreversíveis.

Entenda que a verdade sempre aparece, então, por mais difícil que seja, ela é o melhor caminho para se seguir. Não há vida onde há mentira.

Últimas