Positividade sexual e lucro para Indústria: qual o futuro dos jovens?

Filmes, séries e movimentos têm influenciado adolescentes a praticarem atos sexuais para serem "positivos" e "aceitos"

O otimismo é essencial para a nossa saúde mental. Porém, ao mesmo tempo, é importante questionar e entender o porquê alguns sentimentos surgem durante a vida, como: tristeza, luto, angústia e até mesmo raiva. É preciso sempre usar a razão para que seja possível lidar com todas as pressões da sociedade. Quando uma pessoa ignora isso e age guiada pela emoção pode ser levada a uma positividade tóxica, termo que vem repercutindo na atualidade.

A positividade tóxica é a crença de que é preciso ter uma visão extremamente positiva de toda e qualquer situação. Não tem nada a ver com ser otimista, porque ela impõe uma atitude falsa que esconde as dúvidas e os reais sentimentos. E, infelizmente, isso tem acontecido com os adolescentes em várias áreas da vida, sobretudo, na sexual.

A positividade sexual tem atingido os jovens e prejudicado as relações

A positividade sexual tem atingido os jovens e prejudicado as relações

Shutterstock

O sexo é um tema de grande interesse e motivo de vergonha nessa fase. Mas, enquanto alguns pais têm medo de falar sobre o assunto com os filhos, os filmes de Hollywood, as séries, as músicas, os influencers e os movimentos sociais o divulgam da pior forma possível. 

As cenas de adolescentes tendo uma vida sexual com vários parceiros de diferentes idades, como se aquilo fosse a coisa mais normal do mundo, já dominaram as mais diferentes plataformas. Assim, cada vez mais jovens passam a enxergar o sexo de maneira errônea.

Problemas escondidos

É curioso que quase não vemos essas plataformas abordar os problemas que podem surgir com essas atitudes, como gravidez precoce, doenças sexualmente transmissíveis e transtornos emocionais, afinal, eles precisam vender a imagem de que o sexo na adolescência é algo glamouroso e feliz.

Dessa forma, com a mídia e a cultura promovendo o sexo casual entre adolescentes e a pornografia, muitos entendem que essa se tornou mais uma "atitude" da moda para passar o tempo.

E é aí que surge a tal positividade sexual tóxica. Porque esses jovens deixam suas dúvidas sobre o tema de lado, cedem às pressões para se sentirem aceitos e passam a fazer coisas que normalmente não fariam.

Não há como deixar de falar que movimentos sociais incentivam essa postura, escondendo os efeitos negativos. O feminismo moderno, por exemplo, criou um ambiente que promove o sexo como sendo insignificante e, em vez de equilíbrio, estimulou uma competição entre homens e mulheres. 

O índice de gravidez na adolescência no Brasil está acima da média mundial

O índice de gravidez na adolescência no Brasil está acima da média mundial

Reprodução

Como mudar esse cenário?

Toda essa erotização faz com que os adolescentes ingressem no mundo sexual adulto quando ainda não estão preparados psicologicamente para isso e uma série de fases normais do desenvolvimento deixam de ser vividas.

Segundo o Centro Nacional de Exploração Sexual (NCOSE, na sigla em inglês), organização contra a erotização na sociedade, a indústria pornográfica tem como alvo, no momento, crianças e adolescentes.

Essa indústria promove a ideia de que é brega pensar que o sexo é muito importante na vida de uma pessoa. Mas, a verdade que não falam é que ele é, de fato, importante e precisa ser praticado dentro de um contexto certo.

Não apenas por princípios morais ou religiosos, mas sim porque é inteligente escolher a dedo com quem se compartilhará tanta intimidade. Afinal, quem tem amor-próprio sabe que esperar é uma decisão inteligente e que evita muitos sofrimentos inesperados.

Últimas