Rio de Janeiro Advogados de DJ Rennan falam após ordem de prisão de funkeiro

Advogados de DJ Rennan falam após ordem de prisão de funkeiro

"Representa a cultura negra da periferia do Rio de Janeiro, e justamente por isso sofre amplo preconceito fora do ambiente onde nasceu e foi criado"

Advogados de DJ Rennan falam após ordem de prisão de funkeiro

DJ Rennan da Penha

DJ Rennan da Penha

Reprodução/Instagram

Fabrício Gaspar Rodrigues e Nilsomaro de Souza Rodrigues, advogados de Renan Santos Silva, o DJ Rennan da Penha, prestaram esclarecimentos nas redes sociais a respeito de um mandado de prisão expedido pela Justiça do Rio de Janeiro contra o funkeiro. O músico foi condenado a 6 anos e 8 meses em regime fechado por associação ao tráfico de drogas. 

No Instagram, os representantes de Rennan afirmaram que discordam "firmemente" da decisão proferida, e que tal acusação é "estapafúrdia", alegando que seu cliente "representa a cultura negra da periferia do Rio de Janeiro, é justamente por isso sofre amplo preconceito fora do ambiente onde nasceu e foi criado."

No comunicado, os advogados informam ainda que "encontra-se pendente de análise perante o STF o pedido de liminar em Habeas Corpus para que Rennan aguarde em liberdade a apreciação de seus recursos aos tribunais superiores."

ESCLARECIMENTO

Na qualidade de advogados do DJ Rennan perante os tribunais superiores, lançamos mão do presente comentário para os seguintes esclarecimentos:

A defesa de Rennan Santos da Silva discorda firmemente da decisão proferida pela segunda instância, que não apenas reverteu a ABSOLVIÇÃO proferida pela juíza que interrogou Rennan e as testemunhas de acusação, mas inclusive impôs pena acima do mínimo legal em desrespeito à primariedade do acusado.

Rennan é acusado pelo MPRJ de ser “olheiro” do tráfico. Tal acusação é tão estapafúrdia que beira a inocência, eis que tal função demandaria discrição. Os bailes de Rennan atraem mais de 25.000 pessoas, sendo a ele absolutamente impossível passar despercebido onde quer que seja.

Rennan da Penha representa a cultura negra da periferia do Rio de Janeiro, é justamente por isso sofre amplo preconceito fora do ambiente onde nasceu e foi criado.

Encontra-se pendente de análise perante o STF o pedido de liminar em Habeas Corpus para que Rennan aguarde em liberdade a apreciação de seus recursos aos tribunais superiores.

Rennan é um dos criadores da batida 150 bpm e de um famoso baile funk promovido na Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, zona norte do Rio de Janeiro.

O baile já foi alvo de polêmicas. No mês passado, homens do Bope (Batalhão de Operações Especiais) e do Choque realizaram uma operação na Penha, para reprimir o tráfico de drogas em eventos de funk, segundo informações da Record TV.

No mesmo processo em que Renan Santos Silva é reú, outras 10 pessoas foram condenadas pelo mesmo crime.