Rio de Janeiro Capitão da PM é preso por liderar quadrilha de furto de petróleo

Capitão da PM é preso por liderar quadrilha de furto de petróleo

Segundo a polícia, militar alugou retroescavadeira para abrir via de acesso de caminhões-tanque que transportaram o produto

  • Rio de Janeiro | Bruna Oliveira, do R7

Cinco pessoas foram presas nesta terça-feira (3) na operação Porto Negro contra furto de petróleo de dutos da Petrobras. Entre eles está um capitão da Polícia Militar, apontado como chefe da quadrilha.

Criminosos construíram túnel para acessar duto e furtar petróleo

Criminosos construíram túnel para acessar duto e furtar petróleo

Reprodução / Polícia Civil

As investigações tiveram início após uma perfuração em um duto da Transpetro no município de Guapimirim, na Baixada Fluminense. Segundo a polícia, a atuação da mesma organização criminosa foi identificada em outros casos em Nova Iguaçu e Queimados, também na Baixada.

Em um deles, os criminosos construíram um túnel subterrâneo para acessar o duto e alugaram uma retroescavadeira para abrir uma via de acesso para caminhões-tanque até o local da retirada do petróleo.

Ainda de acordo com as investigações, o policial militar preso foi reconhecido como o responsável pelo aluguel da máquina utilizada na ação.

A polícia descobriu que o petróleo furtado no Rio de Janeiro era transportado para a cidade de Rolândia, no Paraná, para adulteração e revenda.

Ao todo, 14 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em quatro Estados na ação da DDSD (Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados) e do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), do MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro). Além do Rio de Janeiro, os agentes atuaram também em São Paulo, Minas Gerais e Paraná.

Em nota, a PM afirmou ter atuado em conjunto com o MP-RJ e a Polícia Civil e que a Corregedoria cumpriu o mandado de prisão em desfavor do policial militar procurado.

Últimas