Rio de Janeiro Caso Kathlen: 12 PMs envolvidos em tiroteio são afastados

Caso Kathlen: 12 PMs envolvidos em tiroteio são afastados

Agentes foram afastados para prosseguimento das investigações. Um deles afirmou ter visto Kathlen apenas depois do tiroteio

  • Rio de Janeiro | Rafaela Oliveira, do R7*, com Fernanda Macedo, da Record TV Rio

Polícia investiga morte de Kathlen

Polícia investiga morte de Kathlen

Reprodução/Redes sociais

Os doze policiais militares envolvidos no tiroteio que vitimou Kathlen Romeu, de 24 anos, na última terça-feira (8), foram afastados da Unidade de Polícia Pacificadora do Lins, na zona norte do Rio. Como apurado pela Record TV Rio, o afastamento se fez necessário para manter a integridade das investigações. Nesta sexta, a Polícia Civil ouve os familiares da vítima.

De acordo com a delegacia de Homicídios da Capital, responsável pelo caso, nove dos doze agentes já foram ouvidos. Conforme colhido em depoimento, um dos cabos da PM envolvido na ação disse ter atirado cinco vezes contra traficantes na localidade do Beco 14, mas que só viu a jovem grávida de quatro meses depois que o confronto terminou. 

Ainda segundo o relato, um outro companheiro teria efetuado dois disparos e os criminosos fugiram atirando para trás. Depois que os tiros cessaram, os policiais ouviram uma "gritaria" e encontraram Kathlen e a avó, Sayonara de Fatima. 

As duas estavam indo até uma clínica estética da família, recém-inaugurada na comunidade Barão Vermelho. Kathlen havia acabado de se mudar de lá por causa da violência, além de ter se formado como designer de interiores e comprado um apartamento com o namorado, Marcelo Ramos. 

Apesar da PM afirmar inicialmente que a vítima foi atingida por um tiro de pistola, o laudo do Instituto Médico Legal apontou ferimento de fuzil. Das 21 armas apreendidas dos PMs, 12 são fuzis. As investigações estão em andamento na DHC. 

*Estagiária do R7, sob supervisão Paulo Guilherme

Últimas