Coronavírus: Procon apura aumento abusivo em preços de produtos

Decon também instaurou inquéritos contra estabelecimentos que vendem produtos de prevenção e combate ao Covid-19 mais caros

Álcool em gel é um dos produtos fiscalizados

Álcool em gel é um dos produtos fiscalizados

Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O Procon-RJ e a Decon (Delegacia do Consumidor) estão fiscalizando preços abusivos praticados por estabelecimentos comerciais que vendem álcool gel, máscaras e luvas. Até o momento 13 denúncias foram registradas e cinco atos de investigações preliminares foram instaurados.

Coronavírus: RJ investiga morte suspeita de mulher de 63 anos

Os estabelecimento podem ajustar os valores das mercadorias de acordo  com seus custos e com a oferta e procura, já que a economia brasileira é baseada no livre comércio. Porém, caso o fornecedor não comprove a existência de fundamentos econômicos para justificar o aumento, prática será considerada abusiva e o estabelecimento poderá ser autuado e multado.

De acordo com o delegado titular da Decon, Mario Jorge Andrade, é inaceitável que os fornecedores, elevem os preços destes produtos. Além de considerar a conduta como abusiva, ele também afirmou que é crime contra a economia popular.

O Procon-RJ realizou um levantamento de preços dos produtos antes do surto do coronavírus e os comparou com os atuais valores. Os dados também serviram de base para os consumidores na hora de efetuar as compras.

Além disso, os ficais estão alertando aos hotéis, bancos, bares e restaurantes a disponibilizar ácool gel aos clientes, como é determinado por lei.

*Estagiária do R7, sob supervisão de PH Rosa