"Ela tentou proteger o filho”, diz cunhada de mulher morta no Rio

Ana Cristina da Silva estava com a criança no colo quando foi surpreendida por tiroteio em invasão de traficantes ao Complexo do São Carlos

A jovem Ana Cristina da Silva, morta durante confronto no Complexo do São Carlos, na região central do Rio, tentava proteger o filho do tiroteio. Ela foi atingida na cabeça e no peito.

Mulher foi morta enquanto tentava proteger o filho

Mulher foi morta enquanto tentava proteger o filho

Reprodução/Record TV Rio

De acordo com os familiares, a mulher estava indo para o trabalho e carregava o filho no colo quando foi surpreendida pela ação dos traficantes. Para tentar se abrigar, ela pegou carona com uma motorista. No caminho, foi baleada por homens que passavam num veículo.

“Uma moça que estava passando de carro pediu para ela entrar para abrigar os dois só que foram atingidos dentro do carro. Ela se curvou para tentar proteger a criança”, disse a cunhada Vânia Brito de Melo, em entrevista à Record TV Rio.

Ana Cristina chegou a ser socorrida por moradores e foi encaminhada ao Hospital Municipal Souza Aguiar. No entanto, não resistiu aos ferimentos.

Nas redes sociais, diversas pessoas se comoveram com a morte da mulher. “Que horror! Meus sentimentos a família”, escreveu uma internauta.

Segundo a PM, na noite desta quarta-feira (26), criminosos dos morros da Coroa e Fallet/Fogueteiro invadiram as comunidades do Catumbi, Querosene, Rio Comprido e São Carlos, o que deu início ao tiroteio. Na ação, outro homem morreu e cinco pessoas ficaram feridas.

Em nota, a Polícia Militar afirmou que está atuando na região e que um inquérito foi instaurado para apurar as mortes.

*Estagiária do R7, sob supervisão de PH Rosa