Ex-secretário de Paes é condenado a 23 anos de prisão

Alexandre Pinto também deverá pagar multa de R$ 800 mil, de acordo com a decisão do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal do Rio de Janeiro

Alexandre Pinto foi preso há um ano

Alexandre Pinto foi preso há um ano

Tânia Rêgo/Agência Brasil/04.08.2017

O ex-secretário de Obras do Rio de Janeiro Alexandre Pinto da Silva foi condenado, nesta segunda–feira (15), a 23 anos e cinco meses de prisão pela prática de lavagem de dinheiro. O juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, também determinou pagamento de multa de R$ 800 mil. 

Em depoimento, Alexandre Pinto admitiu irregularidades em obras da prefeitura durante a gestão de Eduardo Paes. Ele disse que houve acerto de 1,75% de propina na obra da Transoeste, que teria custado R$ 600 milhões em sua construção.

O dinheiro da propina foi usado por Alexandre Pinto para a compra de imóveis e salas comerciais, colocados em nome de sua família. Dois imóveis foram colocados em nome de seus filhos. Toda a culpa foi assumida pelo ex-secretário, que excluiu a responsabilidade dos parentes e confirmou à Justiça que agiu sozinho.

A condenação de Alexandre Pinto ocorreu no âmbito da operação Mãos à Obra, um desdobramento da Lava Jato no Rio. Em sua decisão, o juiz federal destacou "elevada culpabilidade" diante "do nível de formação intelectual e profissional do réu”.

Bretas afirmou ainda que “as altas cifras envolvidas revelam desprezo pelas instituições públicas e denotam as dimensões alcançadas pela atuação da organização”.

A defesa de Alexandre Pinto não foi localizada até o fechamento desta reportagem.