Rio de Janeiro Ex-secretário Estadual de Saúde falta a depoimento na Alerj

Ex-secretário Estadual de Saúde falta a depoimento na Alerj

Segundo a Casa, defesa de Edmar Santos alegou que ele já é investigado pela Justiça. No entanto, a Casa ressalta que uma medida não anula a outra

Edmar Santos é investigado por desvios na Saúde

Edmar Santos é investigado por desvios na Saúde

Reprodução / Agência Brasil

O ex-secretário Estadual de Saúde do Rio Edmar Santos faltou ao depoimento agendado pela Comissão Especial de Fiscalização dos Gastos na Saúde Pública Durante o Combate do Coronavírus, da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), nesta quarta-feira (22). 

De acordo com a Casa, a presidente do grupo, deputada Martha Rocha (PDT), enviou um ofício à Secretaria de Estado de Polícia Militar, da qual ele é servidor, solicitando a autorização para que prestasse esclarecimentos na reunião.

“Vamos oficiar mais uma vez a Polícia Militar e a procuradoria da Casa para garantir a oitiva do ex-secretário. É lamentável que ele não tenha comparecido a esta reunião para que pudesse fazer os esclarecimentos necessários. Não entendo por que uma pessoa cuja gestão tenha tantas dúvidas não queira se antecipar para prestar esclarecimentos. O compromisso de comparecer a esta reunião deveria ser dele, antes de tudo”, afirmou Martha Rocha .

A Alerj informou ainda que o advogado do ex-secretário Edmar Santos, Bernardo Braga, enviou um ofício para a comissão no qual alegou que o cliente não compareceu por já estar sendo investigado pela Justiça.

“O peticionário foi convocado pela comissão a participar dessa reunião a respeito das contratações emergenciais realizadas pelo coronavírus. No entanto, ele está sendo investigado pela justiça e, por isso, preserva o direito de prestar esclarecimentos apenas ao Tribunal de Justiça”, informou via ofício.

Após ler a declaração aos deputados das comissões, Martha Rocha, disse que Edmar ainda precisa prestar esclarecimentos ao Parlamento.

“Vamos falar com a procuradoria da Casa, pois uma medida não anula a outra”, argumentou a parlamentar.

Entenda o caso

Edmar Santos é investigado por suspeitas de desvios na construção de hospitais de campanha e na compra de respiradores para equipar as unidades de saúde do Estado.

Exonerado, em meados de maio, do cargo de secretário estadual de Saúde, Edmar Santos perdeu o foro privilegiado.

Depois da exoneração, ele foi nomeado secretário extraordinário de Acompanhamento da Covid-19, sendo responsável por gerir o conselho de notáveis, formado por especialistas e professores universitários e da Fiocruz, para discutir as ações de combate à pandemia no Estado.

Ele pediu exoneração, no fim do mês passado, após a Justiça suspender a nomeação para o novo cargo.

Últimas