Rio de Janeiro Familiares de crianças baleadas em Queimados fazem protestos

Familiares de crianças baleadas em Queimados fazem protestos

Kevin Lucas dos Santos Silva, de 6 anos, será enterrado na tarde desta sexta (7). Ele morreu após ser atingido por um tiro no tórax

  • Rio de Janeiro | Márcio Mendes, do R7*

Ônibus queimado durante protestos

Ônibus queimado durante protestos

Reprodução/Record TV

Familiares e amigos das crianças que foram baleadas durante ação da polícia fizeram um novo protesto nesta sexta-feira (7) no centro de Queimados, na Baixada Fluminense.  Eles cobraram justiça após a morte do menino Kevin, de 6 anos, na quinta (6).

Em outra manifestação, no acesso ao morro da Torre, onde as crianças foram atingidas, um ônibus foi incendiado.  

Uma das vítimas, Ludmila Pereira Vilela, de 9 anos, foi baleada em uma perna e teve uma artéria perfurada. De acordo com parentes, ela precisou passar por uma cirurgia de emergência. A menina ainda não tem previsão de alta.

Em entrevista à Record TV Rio, a tia de uma das crianças baleadas relatou que as vítimas estavam no quintal no momento dos tiros e que os policiais levaram os feridos na viatura.

"Eles não deixaram botar a mão. Depois, por tudo, botaram as crianças na viatura. No meio do caminho, tiraram o Kevin e disseram que ele só tinha batido a cabeça e era um desmaio.  Quando chegamos na UPA de Queimados, a gente recebeu a triste notícia de que Kevin havia sido alvejado no peito. E esse tiro que ele tomou no peito foi fatal. Dentro da viatura o menino já estava morto, eu vi o menino branco, com o olho revirado. Ali, ele já estava sem vida. Eles [os policiais] largaram a criança sem vida no meio da rua com a responsável."

O menino Kevin Lucas dos Santos Silva, de 6 anos, morto durante a ação da polícia em Queimados, será sepultado nesta sexta-feira (7). O enterro ocorrerá no cemitério Carlos Sampaio, no bairro de Austin, em Nova Iguaçu, a partir das 16h.

A DHBF (Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense) informou que já ouviu familiares e os PMs envolvidos na ação. A Polícia Militar nega que os agentes tenham efetuado disparos e afirma ter sido atacada por criminosos durante patrulhamento. As armas foram apreendidas e vão passar por perícia. 

*Estagiário do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas