Rio de Janeiro Familiares e amigos vão ao velório de Ivo Pitanguy no Rio

Familiares e amigos vão ao velório de Ivo Pitanguy no Rio

Cirurgião plástico morreu neste sábado (6), vítima de uma parada cardíaca

Familiares e amigos vão ao velório de Ivo Pitanguy no Rio

Familiares e amigos se despedem de Ivo Pitanguy

Familiares e amigos se despedem de Ivo Pitanguy

Fabio Moreno/Agnews

Familiares e amigos compareceram ao velório de Ivo Pitanguy neste domingo (7), no Memorial do Carmo, no Rio de Janeiro. O médico de 90 anos morreu neste sábado (6), em casa, após uma parada cardíaca. A cremação será às 18h.

Pitanguy foi um dos cirurgiões plásticos mais respeitados do mundo. Ele era patrono da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, membro honorário da American Society of Plastic Surgery e também da Academia Brasileira de Letras.

Na sexta-feira (5), de cadeira de rodas, ele participou do revezamento da tocha olímpica no Rio. O cirurgião já sofria de problemas de saúde desde o fim do ano passado.

A rede de TV britânica BBC noticiou a morte de Pitanguy e lembrou que ele ganhou respeito ao operar de graça pessoas que ficavam desfiguradas em desastres. O médico tratou centenas de pessoas vítimas do incêndio em um circo em Niteroi, em 1961.

Pelo bisturi de Pitanguy passaram beldades internacionais como Sophia Loren, Gina Lollobrigida e Ursula Andrews. Ele também operou a realeza: a princesa Stéphanie de Mônaco, o rei Hussein da Jordânia. O cirurgião operou o piloto de Fórmula 1 Niki Lauda, que teve o rosto queimado após um acidente em 1976. Incontáveis estrelas nacionais também passaram pelo seu consultório: a amiga Tônia Carrero (três vezes), Betty Faria, Sônia Braga. Políticos como Marta Suplicy, o ex-presidente José de Alencar, o ex-presidente João Figueiredo. E com a mesma facilidade com que as celebridades passavam pelo seu consultório, Pitanguy frequentava seus salões.

Filho de médico, era culto, tinha bom papo, de fácil trato, gostava de contar histórias. Nos anos de 1960, alternava a agenda de cirurgias no Rio com períodos em que operava em Roma, na Itália, ou Sion, na Suíça. Nessas temporadas, também se divertia. Em Gstaad (Suíça), esquiava com Roman Polanski. Na Itália, costumava jantar com Gina Lollobrigida.

Em Paris, dançou valsa com a atriz Romy Shneider, no Maxim’s. Encontrava-se em cafés com o filósofo Jean-Paul Sartre e seus amigos intelectuais. A aproximação com essa turma aconteceu por acaso: na primeira viagem à França, sentou-se ao lado da atriz e cantora Juliette Gréco. Depois de muita conversa durante o voo, ela resolveu apresentá-lo aos amigos – Sartre e Alain Delon entre eles. Ficou próximo do ator francês. Em 1978, Delon e Mirelle Darc, com quem era casado, passaram uma semana na Ilha dos Porcos Grandes, em Angra dos Reis, comprada por Pitanguy nos anos de 1970.

Narcisa Tamborindeguy também foi ao velório do cirurgião plástico

Narcisa Tamborindeguy também foi ao velório do cirurgião plástico

Fabio Moreno/AgNews
    Access log