Rio de Janeiro "Guerreira", diz cunhada de vítima fatal de acidente com BRT no Rio

"Guerreira", diz cunhada de vítima fatal de acidente com BRT no Rio

Família conta que Eliana Carvalho costumava pegar carona com amiga que passou mal e não foi trabalhar na última quarta (10)

  • Rio de Janeiro | Mariene Lino, do R7*

O acidente entre um carro de passeio e um ônibus do BRT em Guaratiba, na zona oeste do Rio de Janeiro, na última quarta-feira (10), deixou uma vítima fatal: Eliana Carvalho, de 40 anos. 

Eliana deixa três filhas e três netas

Eliana deixa três filhas e três netas

Reprodução/Record TV Rio

Segundo a família, ela prestava serviços de limpeza em uma escola. O sobrinho, Fernando Sérgio de Almeida, contou que a tia só pegou o BRT porque a amiga que sempre a dava carona faltou ao trabalho.

"A amiga passou mal e não foi trabalhar. Ela pegou o BRT, o que não era de costume por causa da superlotação. O esposo dela até ia buscá-la, mas acabou não indo. Ela entrou no BRT, e aconteceu isso", disse ele.

O viúvo de Eliana, José Ricardo, cobrou que medidas sejam tomadas para evitar que outras famílias sintam a mesma dor que a dela.

"Um descaso, é muita falta de respeito pelo ser humano. Precisa ser tomada uma providência para isso não acontecer com outras famílias. Ela deixou três netas, três filhas e uma mãe que precisa dela", disse, emocionado.

BRT tombou após bater em carro

BRT tombou após bater em carro

Reprodução/Record TV Rio

O motorista do veículo que invadiu a pista exclusiva do BRT fugiu do local. A Polícia Civil apontou que o carro era roubado e tinha placa clonada do município de Santo André (SP).

A cunhada de Eliana, Claudia Rita da Silva, fez um apelo:

"Que o motorista daquele carro tenha consciência e se entregue. Ele tirou a vida de uma mãe de família, uma guerreira, uma mulher trabalhadora. Eu sei que ele não vai trazer minha cunhada de volta, mas tem que ser feita a justiça", desabafou ela.

Um familiar da vítima informou que o enterro de Eliana será na próxima sexta-feira (12), às 10h, na capela 5 do cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na zona oeste da cidade. 

De acordo com a SMS (Secretaria Municipal de Saúde), 49 pacientes foram atendidos em hospitais da rede municipal. Seis deles permanecem internados e têm estado de saúde estável. Os outros já foram liberados.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas