Rio de Janeiro Hospital confirma morte cerebral de radiologista baleado na cabeça por PM em blitz no Rio

Hospital confirma morte cerebral de radiologista baleado na cabeça por PM em blitz no Rio

Soldado da Polícia Militar, que admitiu ter efetuado o disparo, foi preso preventivamente por decisão da Justiça

Baleado por PM, Raphael Montovaneli teve a morte cerebral confirmada

Baleado por PM, Raphael Montovaneli teve a morte cerebral confirmada

Record TV

O radiologista Raphael Montovaneli, de 40 anos, baleado na cabeça por um policial militar no Engenho Novo, na zona norte do Rio de Janeiro, teve a morte cerebral confirmada na tarde desta quinta-feira (22).

Raphael estava internado em estado gravíssimo no Hospital Federal do Andaraí, na mesma região, desde o último domingo (18). A unidade informou que a constatação do óbito ocorreu após avaliação clínica e término de protocolos.

Em entrevista aos jornalistas na porta do hospital, a mãe de Raphael fez um desabafo ao saber da possível morte cerebral do filho, na terça (21):

“Meu filho morreu de uma covardia de um policial irresponsável”, disse a mãe do homem.

Raphael foi atingido por um tiro de fuzil, que perfurou o crânio dele, quando passava de carro pela avenida Marechal Rondon, no Engenho de Novo. Ele estava acompanhado de três amigos após assisitir ao jogo entre Flamengo e Fluminense, no Maracanã.  

Segundo a polícia, o motorista do veículo no qual Raphael estava teria obedecido a uma ordem de parada de PMs do 3º BPM (Méier). A corporação afirmou que o carro estava em alta velocidade e seguia em direção à viatura. Essa versão foi negada pela esposa do radiologista, que está grávida de oito meses.

O soldado da PM, que admitiu ter sido o responsável pelo disparo, foi preso em flagrante. Durante a audiência de custódia, ele teve a prisão preventiva (sem prazo) decretada pela Justiça. 

Últimas