Impeachment: deputados avaliam que situação de Witzel é "crítica"

Investigado na Operação Placebo por desvio de verbas, o governador do Rio é alvo de pedidos de afastamento na Assembleia Legislativa 

Parlamentares dizem que Witzel tem poucos apoio na Alerj

Parlamentares dizem que Witzel tem poucos apoio na Alerj

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil - 26/03/2019

Alvo de pedidos de afastamento na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), o governador do Rio Wilson Witzel (PSC) está em uma situação "crítica" na avaliação de parlamentares ouvidos pelo Cidade Alerta RJ nesta sexta-feira (29).

A expectativa dos parlamentares é a de que o presidente da Casa, André Ceciliano (PT), coloque em votação a abertura do processo de impeachment em 10 dias.

Os deputados estaduais, que pediram para não serem identificados, disseram que Witzel, investigado na Operação Placebo por desvios de verbas públicas da Saúde durante a pandemia do novo coronavírus, tem "pouquíssimos" votos para escapar da cassação. Eles calculam que o governador tenha, no máximo, 10 votos a favor dele entre os 70 parlamentares.

Nos bastidores, o entendimento é que o governador perdeu aliados na Alerj depois de exonerar o secretário da Casa Civil, André Moura, e manter o secretário de Desenvolvimento Econômico, Lucas Tristão, que é amigo do empresário Mário Peixoto, preso na Operação Favorito por fraudes em contratos da Saúde.

Nesta semana, o partido Republicanos anunciou a saída da base do governo Witzel em razão dos "fortes indícios de corrupção".