Rio de Janeiro Justiça bloqueia R$ 45 milhões em bens de ex-governador Pezão

Justiça bloqueia R$ 45 milhões em bens de ex-governador Pezão

De acordo com juíza, valor corresponde aos R$ 11,4 mi mais seu triplo; ex-governador é suspeito de ter recebido dinheiro como propina da Fetranspor

Justiça bloqueia R$ 45 mi em bens de Luiz Fernando Pezão

Fernando Frazão/Agência Brasil/03.09.2015

A Justiça do Rio bloqueou cerca de R$ 45 milhões em bens do ex-governador do Rio de Janeiro Luiz Fernando Pezão, preso no fim de novembro do ano passado, durante a operação Boca de Lobo, desdobramento da Lava Jato.

Segundo a juíza Mirela Erbisti, responsável pela decisão favorável ao pedido do MP-RJ (Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro) de congelamento de bens, o valor bloqueado é referente ao total em propina que Pezão é suspeito de receber da Fetranspor (Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro).

Segundo as investigações, o ex-governador do Estado teria recebido R$ 11,4 milhões da empresa. Além deste valor, a juíza Mirela Erbisti determinou o bloqueio de mais R$ 34,2 mi (o triplo do total de propina apontado pelas investigações) estabelecido como multa civil.

Além de Pezão, outros envolvidos tiveram seus bens congelados. O ex-dirigente da Fetranspor José Carlos Lavouras, o doleiro Luiz Carlos Vidal Barroso e o ex-secretário Hudson Braga, juntos, tiveram cerca de R$ 70 milhões bloqueados pela Justiça.

Leia também: fraude em subsídios de passagens gerou rombo de R$ 512 mi no RJ

Em nota, o MP-RJ informou que a Fetranspor também teve R$ 34,2 milhões de seu patrimônio congelado por decisão judicial.

Pezão e Fetranspor

De acordo com as investigações do Gaecc/MP-RJ (Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção), Pezão assumiu a liderança na organização antes comandada pelo também ex-governador Sérgio Cabral.

A Fetranspor, segundo o MP-RJ, se destacava entre as empresas que pagavam propinas para o governo do Rio durante os mandatos dos dois líderes do Executivo fluminense.

O R7 tenta contato com a defesa dos citados. O espaço está aberto para manifestação.

Assista: Procurador-regional da República diz que Fetranspor participou de corrupção

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa