Rio de Janeiro Justiça nega pedido de Flordelis para retirada da tornozeleira

Justiça nega pedido de Flordelis para retirada da tornozeleira

Pedido foi rejeitado pelo desembargador Celso Ferreira Filho, que alegou não ter elementos que justifiquem a solicitação 

  • Rio de Janeiro | Rafael Nascimento, do R7 *

Flordelis em sessão na Câmara

Flordelis em sessão na Câmara

Cleia Viana/Câmara dos Deputados

O desembargador Celso Ferreira Filho, da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, negou nesta quinta-feira (12) um pedido de liminar apresentado pela defesa da ex-deputada federal Flordelis para suspensão da obrigatoriedade do uso por ela da tornozeleira eletrônica.

Flordelis, ao lado de outros 10 réus, é acusada de envolvimento na morte do marido, o pastor Anderson do Carmo, executado a tiros em junho de 2019.

O magistrado entendeu que a defesa não apresentou elementos suficientes que justificassem a suspensão imediata da medida cautelar imposta à Flordelis, destacando que os argumentos apresentados pela defesa já haviam sido apreciados em outro pedido de habeas corpus, também negado pela Justiça.

“Na verdade, o pleito ora em apreciação já foi apresentado a este Relator com fundamentos semelhantes, tendo sido rechaçado. Portanto, ausentes os requisitos autorizadores da concessão do pleito liminar, tenho por indeferi-lo", diz a decisão.

O pedido ainda será analisado em sessão a ser agendada pelo colegiado da 2ª Câmara Cível.

Cassação do mandato

Na última quarta-feira (11), a Câmara dos Deputados cassou, por quebra de decoro parlamentar, o mandato de deputada de Flordelis. Além de perder o cargo, a deputada ficará inelegível por determinação da Lei da Ficha Limpa.

*Estagiário do R7 sob supervisão de PH Rosa

Últimas