Rio de Janeiro Justiça torna surfista réu por morte de militar na zona sul do Rio

Justiça torna surfista réu por morte de militar na zona sul do Rio

Surfista foi denunciado pelo MP por homicídio culposo do sargento da Marinha Diego Gomes em dezembro do ano passado

  • Rio de Janeiro | Mariene Lino, do R7*

O TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) aceitou a denúncia do Ministério Público contra o surfista Luis Felipe Cesarano pela morte do sargento da Marinha Diego Gomes, de 36 anos. O atleta, que foi indiciado pela Polícia Civil na semana passada, agora é réu por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

Surfista agora é réu por homicídio culposo

Surfista agora é réu por homicídio culposo

Reprodução/Instagram

A decisão foi da juíza Simone de Faria Ferraz, da 23ª Vara Criminal. Segundo a magistrada, as declarações prestadas no caso, os laudos dos exames de alcoolemia e necropsia e a guia de remoção de cadáver foram determinantes para que a denúncia fosse aceita.

Cesarano foi preso em flagrante após atropelar o militar na Auto Estrada Lagoa-Barra, em São Conrado, na zona sul do Rio, em 16 de dezembro do ano passado. De acordo com as investigações, a vítima foi atingida pelo veículo conduzido pelo surfista, que subiu o canteiro de divisória das pistas e entrou na contramão da via. 

A investigação revelou ainda que Cesarano dirigia a 144 km/h momentos antes do acidente e estava alcoolizado. Documentos apreendidos pela polícia revelaram que o surfista consumiu cerca de R$ 900 em bebida alcoólica na noite do acidente em uma boate na Barra da Tijuca, zona oeste da capital.

Ainda de acordo com a decisão, a defesa de Cesarano deve responder a acusação por escrito no prazo de dez dias. Caso contrário, a Defensoria Pública será acionada para "patrocínio de interesses processuais".

*Estagiária do R7, sob supervisão de PH Rosa

Últimas