Rio de Janeiro Surfista indiciado por acidente fatal dirigia a 144km/h e alcoolizado

Surfista indiciado por acidente fatal dirigia a 144km/h e alcoolizado

Inquérito apontou que Luis Felipe Cesarano assumiu o risco de matar em acidente que vitimou militar da Marinha

  • Rio de Janeiro | Bruna Oliveira, do R7

A Polícia Civil indiciou, na sexta-feira (6), o surfista Luis Felipe Cesarano pelo crime de homicídio doloso, na modalidade dolo eventual, em razão de ter assumido o risco de matar no acidente que vitimou o militar da Marinha Diego Gomes.

Investigação apontou que surfista consumiu R$ 900 em bebida

Investigação apontou que surfista consumiu R$ 900 em bebida

Reprodução Instagram

A investigação da 15ª DP (Gávea) apontou que, além de dirigir sob influência de álcool, Luis Felipe estava com a CNH suspensa desde 2016. Já a perícia revelou que o motorista, segundos antes do acidente, estava dirigindo a uma velocidade de 144 km/h.

O documentos apreendidos pela polícia revelaram que Luis Felipe consumiu aproximadamente R$ 900 em bebida alcoólica na noite do acidente em uma boate na Barra da Tijuca.

O delegado Daniel Rosa ressaltou que o surfista ficou impedido de dirigir por ter cometido 124 infrações no período de cinco anos, sendo 88 delas de velocidade. Na conclusão do inquérito, o delegado pediu à Justiça que Luis Felipe seja proibido de frequentar bares e casas noturnas e que não deixe o Rio de Janeiro.

A batida aconteceu passado na autoestrada Lagoa-Barra em 16 de dezembro do ano. De acordo com as investigações, a vítima foi atingida pelo veículo conduzido por Luis Felipe, que subiu o canteiro de divisória das pistas e entrou na contramão da via.

Após a colisão, o condutor foi preso em flagrante pelo crime de homicídio culposo de trânsito sob influência de álcool, mas foi liberado, no dia seguinte, na audiência de custódia.

As advogadas do surfista, Elizabeth Medeiros e Rayra Vianna, afirmaram que “no processo, mediante os princípios de ampla defesa do contraditório, todos os fatos serão esclarecidos e a defesa dele devidamente realizada”.

Últimas