Rio de Janeiro Marcelo Crivella: "Querem interferir no processo eleitoral"

Marcelo Crivella: "Querem interferir no processo eleitoral"

Em pronunciamento, prefeito do Rio de Janeiro disse que operação policial não encontrou "absolutamente nada que sequer descreva qualquer ilícito"

Prefeito Crivella durante pronunciamento

Prefeito Crivella durante pronunciamento

Reprodução

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), disse que a operação policial que aconteceu na última quinta-feira (10) tem "claramente a intenção de interferir no processo eleitoral". A afirmação aconteceu em pronunciamento neste sábado (12).

O prefeito afirma que teve acesso ao processo que originou a operação e pediu para a Justiça quebrar o sigilo dos documentos que, ainda segundo Crivella, "não há absolutamente nada que sequer descreva qualquer ilícito, por menor que seja, na minha conduta".

"Não há delação de doleiros, transportadores de valores, funcionários da prefeitura, empreiteiros. Não há contas no exterior. Nada foi encontrado na minha casa ou no meu gabinete, em banco ou no celular", afirma o prefeito.

Leia também: “Sofro ataques por estar corrigindo erros do passado”, diz Crivella

Após a ação que considera ilegal, Crivella afirma que entrou com reclamação constitucional no STF (Supremo Tribunal Federal), denúncia ao Conselho Nacional do Ministério Público por vazamento criminoso de processo sob sigilo, e denúncia também na Corregedoria da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro por crimes praticados por delegado em operação de busca e apreensão.

"Não me queixo de todos os sacrifícios, injúrias, infâmeas e calúnias que sofri durante o meu governo. Esse é o preço que se paga pela honra de servir ao povo. Tenho certeza que esse mesmo povo saberá separar entre o joio e o trigo", afirmou Crivella.

Últimas