Médico suspeito de assédio é solto após audiência de custódia no Rio

Dermatologista foi preso em flagrante por importunação sexual; paciente registrou caso na Delegacia de Atendimento à Mulher de Jacarepaguá 

Paciente afirmou que assédio ocorreu dentro de consultório

Paciente afirmou que assédio ocorreu dentro de consultório

Reprodução

Foi solto nesta terça-feira (1º) o médico preso por importunação sexual contra uma paciente em Jacarepaguá, na zona oeste do Rio de Janeiro. Ele ganhou liberdade por decisão da Justiça durante a audiência de custódia. A pena prevista para este crime é de até cinco anos de reclusão.

O caso foi registrado na Deam (Delegacia de Atendimento à Mulher) de Jacarepaguá no último dia 30.  Segundo a vítima, o dermatologista a assediou por cerca de uma hora. Ela contou que o suspeito tentou tocá-la em partes íntimas e a beijou na boca. 

O médico também é oficial do Corpo de Bombeiros. Em nota, a Corregedoria Interna informou ter aberto um procedimento administrativo para apurar o caso e esclareceu que o suspeito será julgado pela Justiça Comum. O Corpo de Bombeiros disse ainda que o dermatologista não integra o quadro ativo da corporação.