Metrô e trens registram queda de passageiros durante a pandemia

Concessionárias alegam que situação financeira foi agravada por gastos extras com medidas de higiene e falta de auxílio do poder público

Concessionárias perderam 60% dos passageiros

Concessionárias perderam 60% dos passageiros

Fernando Frazão / Agência Brasil

Os trens e o metrô do Rio registraram queda de passageiros durante a pandemia do novo coronavírus. As duas empresas operam com 60% usuários a menos cada uma e gerou um enorme prejuízo financeiro.

Rio: criança de 3 anos é baleada na porta de casa em Duque de Caxias

No caso da Supervia, concessionária que administra os trens, o prejuízo chegou a R$ 204,5 milhões. Além disso, as lojas e quiosques que atuam nas estações tiveram que fechar as portas por conta do isolamento social, o que causou uma inadimplência que chegou a 80%.

Já o MetrôRio perdeu R$ 409 milhões da receita, em um dano operacional de R$ 238 milhões. A empresa alega que para continuar a operar precisa de, pelo menos, 550 mil passageiros por dia – atualmente, esse número está em 370 mil.

As duas empresas afirmam que os gastos extras com as medidas de higiene exigidas para evitar a propagação do vírus nos transportes públicos e a falta de auxílio do governo agravou o prejuízo financeiro. A principal forma de lucro de ambas as concessionárias é a venda de passagens.

Tanto a Supervia quanto o MetrôRio disseram que fazem reuniões com representantes do poder público para estabelecer soluções para continuar a funcionar. No entanto, nada foi decidido.

*Estagiária do R7, sob supervisão de PH Rosa