Rio de Janeiro Morre grávida baleada na zona norte do Rio; moradores protestam

Morre grávida baleada na zona norte do Rio; moradores protestam

Revoltados, moradores do Lins fecharam a Grajaú-Jacarepaguá por cerca de três horas em manifestação contra a violência

  • Rio de Janeiro | Do R7, com Adriana Rezende, da Record TV

Uma grávida morreu após ter sido baleada durante um tiroteio entre policiais e criminosos no Lins, zona norte do Rio, nesta terça-feira (8). Kethelen Romeu, de 24 anos, chegou a ser levada para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu aos ferimentos. A informação foi confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde. 

Kethelen Romeu estava grávida de três meses

Kethelen Romeu estava grávida de três meses

Reprodução/ Redes sociais

De acordo com informações da Record TV, a gestante foi à comunidade para visitar a avó. Na hora do confronto, as duas se dirigiam a uma clínica de estética da família.

Formada em design de interiores, Kethelen, que era modelo e trabalhava em uma loja, estava grávida de três meses. O bebê também não resistiu.

Em frente à unidade de saúde, a avó, muito abalada, disse que tudo aconteceu muito rápido.

"Perdi minha neta nesse mundo estúpido, nesse tiroteio estúpido". 

Amigos e familiares contaram que a jovem vivia o melhor momento da vida com a realização do sonho de ser mãe. Ela havia acabado de se formar e conquistar a casa própria.

Segundo a Polícia Militar, o confronto na região teve início depois que policiais militares da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) Lins foram atacados a tiros por criminosos na localidade conhecida como Beco da 14. 

Os militares disseram ter encontrado a vítima ferida e socorrido ao hospital. A Delegacia de Homicídios da Capital investiga de onde partiu o tiro que matou a grávida.

Em paralelo às investigações da Polícia Civil, a Coordenadoria de Polícia Pacificadora informou que também vai instaurar um procedimento apuratório sobre o caso.

Revoltados, moradores fecharam a autoestrada Grajaú-Jacarepaguá, por cerca de três horas, para protestar contra a violência na comunidade. A via, que liga as zonas norte e oeste, foi interditada nos dois sentidos, o que provocou um congestionamento na cidade. 

Últimas