Rio de Janeiro Paisagista espancada no primeiro encontro recebe alta médica

Paisagista espancada no primeiro encontro recebe alta médica

Enquanto Elaine deixa hospital na zona norte do Rio, acusado pelas agressões passa por exames em avaliação psiquiátrica

Paisagista espancada no primeiro encontro recebe alta médica

Elaine precisará passar por cirurgias para reconstruir o rosto

Elaine precisará passar por cirurgias para reconstruir o rosto

Reprodução/RecordTV Rio

A paisagista e empresária Elaine Caparroz, de 55 anos, espancada por mais de quatro horas dentro do próprio apartamento durante o primeiro encontro com um homem que conheceu na internet, recebeu alta médica nesta sexta-feira (22).

Acompanhada pelo filho, o lutador de jiu-jitsu Rayron Gracie, Elaine deixou hospital particular onde esteve internada desde o último sábado (16), no Rio Comprido, zona norte do Rio.

A paisagista sofreu múltiplas fraturas no rosto, perdeu dentes e levou 40 pontos na boca. De acordo com a equipe médica, as cirurgias necessárias para a reconstrução do rosto da empresária podem durar seis meses. Antes disso, ela precisará ser submetida a uma operação para corrigir um desvio de septo causado pelo espancamento.

Leia também: "Estou bem, logo estou numa boa", diz paisagista agredida por lutador

O depoimento de Elaine sobre as agressões ainda não foi colhido. A polícia espera ouvi-la "no momento em que ela se sentir emocionalmente estável".

Agressor é internado para exame psiquiátrico

O estudante de direito acusado de agredir a empresária foi encaminhado ao Hospital Psiquiátrico Robertos Medeiros, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu (zona oeste do Rio), para uma avaliação psiquiátrica.

Na audiência de custódia, realizada no último dia 18 na Cadeia Pública José Frederico Marques, também em Benfica, a defesa do suspeito apresentou declarações médicas antigas, datadas de 2016, para alegar que o agressor tem problemas mentais.

O juiz Alex Quaresma Ravache, contudo, avaliou que os documentos não eram suficientes "para atestar a inimputabilidade ou semi-imputabilidade do custodiado" e determinou que o suspeito passasse por uma nova avaliação psiquiátrica. 

*Estagiária do R7, sob supervisão de Marcos Sergio Silva