PMs são presos suspeitos de formar milícia para venda de gás no RJ

Sete agentes e três homens foram detidos; segundo investigação, grupo obrigaria moradores a comprar botijões vendidos a preços acima no mercado

Depósito de gás da milícia em Nova Iguaçu

Depósito de gás da milícia em Nova Iguaçu

Reprodução RecordTV

A Corregedoria da Polícia Militar prendeu, nesta quinta-feira (18), sete policiais militares e outros três homens suspeitos de envolvimento com uma milícia da Baixada Fluminense. O grupo é acusado pela venda ilegal de gás de cozinha.

Outros cinco mandados de prisão preventiva e 22 mandados de busca apreensão estão sendo cumpridos pelo Núcleo de Operações de Inteligência/Grupo de Atenção às Milícias da PM. 

A ação de hoje é um desdobramento da Operação Liquefeito, que investigou a casa de dez PMs e quatro depósitos de gás em Nova Iguaçu, em agosto deste ano. 

Segundo o inquérito policial, o grupo atuaria no bairro Austin forçando moradores, através de ameaças, a comprar botijões de gás vendidos acima do preço do mercado.

Quadrilha de milicianos vendia terrenos em áreas de proteção ambiental no Rio. Assista!

Delegado e inspetores presos

A corregedoria da Polícia Civil também faz operação na Baixada Fluminense nesta quinta. Dois delegados e cinco inspetores das delegacias de Mesquita, Nova Iguaçu e Inhaúma, foram presos acusados de cobrar propina para soltar criminosos.

Em escutas telefônicas autorizadas pela Justiça, o grupo foi flagrado pedindo até R$ 50 mil para liberar presos. 

*Estagiária do R7, sob supervisão PH Rosa