Rio de Janeiro PMs suspeitos de envolvimento em morte de jovem na Palmeirinha prestam depoimento no Rio

PMs suspeitos de envolvimento em morte de jovem na Palmeirinha prestam depoimento no Rio

Policiais foram afastados após divulgação de vídeo que contrariou versão oficial

Jovens foram baleados quando brincavam em rua de Honório Gurgel, zona do Rio

Jovens foram baleados quando brincavam em rua de Honório Gurgel, zona do Rio

Reprodução / Rede Record

Nove PMs envolvidos numa operação na comunidade da Palmeirinha, zona norte do Rio, que deixou um jovem morto e outro ferido, prestam depoimento na Delegacia de Honório Gurgel (30ª DP), na tarde desta segunda-feira (2). Segundo a delegada Adriana Belém, os policiais podem ser indiciados pelos crimes de homicídio, tentativa de homicídio e fraude processual.

O tenente Paulo Rodolofo foi ouvido no início dessa tarde e deixou a delegacia sem falar com a imprensa. 

O caso ocorreu no dia 21 de fevereiro. Dois jovens foram baleados durante uma ação da polícia na comunidade da Palmeirinha, em Honório Gurgel. Alan Souza de Lima, de 15 anos, morreu e Chauan Jambre Cezário, de 19 anos, foi atingido no peito, mas sobreviveu.

Um vídeo gravado no telefone celular de uma das vítimas registrou o momento em que os rapazes foram atingidos. As imagens contrariaram a versão da polícia de que os jovens foram alvejados durante confronto com a PM. No vídeo é possível ver que eles brincavam antes da chegada dos policiais e foram surpreendidos por disparos. (veja abaixo)

Segundo os PMs, os jovens seriam suspeitos de integrar a quadrilha que controla o tráfico de drogas na comunidade, e estariam portando armas. Porém, as famílias das vítimas negam essa versão. Após o ocorrido, a polícia chegou a afirmar que uma pistola e um revólver foram apreendidos. Na nota, também foi informado que a vítima que sobreviveu foi autuada por porte ilegal de armas e resistências.

No entanto, depois da divulgação do vídeo, a Corregedoria da Polícia Militar apreendeu as armas dos policiais que participaram da operação. Oito policiais e um tenente do Batalhão de Rocha Miranda (9º BPM) foram afastados.

De acordo com a polícia, ao analisar as imagens, o comandante da Polícia Militar, coronel Alberto Pinheiro Neto, abriu um averiguação sumária, afastou os policiais envolvidos, e determinou a abertura imediata de um Inquérito Policial Militar a cargo da Corregedoria da PM.

Assista ao vídeo:

Últimas