Rio de Janeiro Polícia identifica 2 dos cinco tripulantes de lancha desaparecida

Polícia identifica 2 dos cinco tripulantes de lancha desaparecida

Corpos identificados são do dono da embarcação Ricardo Kirts e do pescador Wilson Martins

A Polícia Civil identificou dois dos cinco tripulantes da lancha ‘O Maestro’, que desapareceu no dia 29 de janeiro quando ia para Fortaleza, no Ceará. Os corpos identificados são do dono da embarcação Ricardo Kirts e do pescador Wilson Martins

Corpos pertencem a Ricardo Kirts e Wilson Martins

Corpos pertencem a Ricardo Kirts e Wilson Martins

Reprodução/Record TV Rio

Eles foram encontrados a 50 km a leste do Farol de Cabo Frio, dentro da área de buscas montada após os militares encontrarem um freezer com alimentos dentro do prazo de validade que seria da embarcação. Eles foram levados à Macaé, na sexta-feira (5) para serem identificados.

Os outros dois corpos encontrados no sábado (6), a 35km a sudeste do Farol de Cabo Frio também foram encaminhados à Macaé.

No entanto, a Polícia afirmou que, por conta da condição em que eles se apresentam, "será necessária uma intervenção e tratamento do tecido epidérmico" para coletar o DNA e confirmar se pertencem aos outros três tripulantes: o empresário Domingos Sávio, o comandante Guilherme Ambrosio, o mecânico José Cláudio de Souza. 

De acordo com os agentes, a família dos cinco amigos já foram notificadas. 

Os amigos desapareceram após seguirem viagem de lancha para Fortaleza, no Ceará. O plano era fazer uma viagem de 20 dias, com pequenas paradas para pescar, mas 'O Maestro' teria apresentado falha mecânicas no motor.

O último contato feito com a família foi feito na noite de sexta-feira (29). Os amigos afirmaram que ventava e chovia bastante no local e, por isso, iam aguardar a passagem do temporal. Contudo, de acordo com um áudio que seria de um tripulante de outra embarcação, o grupo emitiu um pedido de socorro na madrugada do dia 30.

'Eu comecei a ouvir "alô frequência, alô frequência, SOS, SOS". Perguntei o que estava acontecendo e ele falou "é uma lancha que tá entrando água". Em seguida, ele falou " a água tomou conta do motor e parou de funcionar."', disse o tripulante.

O aúdio também afirma que um dos amigos disse que o motor estava parado e que "eles iam para o mar". A comunicação com a outra embarcação teria durado cerca de 10 minutos.

A última localização registrada pela O Maestro foi no farol de São Thomé, em Campos dos Goytacazes, no norte do Estado dia 30. A Marinha só tomou conhecimento do desaparecimento da lancha no dia 31, quando começou a busca pelos os tripulantes.

*Estagiária do R7, sob supervisão de PH Rosa

Últimas