Rio de Janeiro Polícia intima testemunhas para reconstituir morte de Anderson

Polícia intima testemunhas para reconstituir morte de Anderson

Deputada não estava em casa para receber intimação e deve ser convocada na sexta, quando volta de Brasília; reprodução está prevista para o dia 21

Flordelis deve ser intimada após voltar de Brasília

Flordelis deve ser intimada após voltar de Brasília

WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO - 17.06.2019

Policiais da DH-NSG (Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo) estiveram na casa da deputada Flordelis (PSD-RJ) para intimar ela e outras pessoas para participarem da reprodução simulada da morte do pastor Anderson do Carmo, prevista para o próximo dia 21. Segundo informações obtidas pela Record TV Rio, a parlamentar não estava em casa no momento e não recebeu a intimação.

Filho diz que Flordelis afirmou ter destruído celular de Anderson

Ainda de acordo com as informações, outras quatro pessoas foram intimadas na casa e três na igreja onde a família atua. Os agentes devem retornar à casa onde o crime ocorreu na sexta-feira (13), quando Flordelis retorna de Brasília, onde cumpre sua agenda parlamentar.

Os filhos que já foram denunciados, Flávio dos Santos Rodrigues e Lucas dos Santos Souza, também devem ser intimados para a reconstituição. A polícia espera a participação de todos que estavam na casa no momento do crime.

Família dividida

As investigações da morte de Anderson apontaram um racha dentro da casa onde ele morava com a deputada e os 55 filhos. Os depoimentos obtidos pela Record TV Rio mostram a relação entre irmãos adotivos e biológicos e os pais.

Luan Santos, um dos filhos adotivos do casal, se desligou da igreja dias depois do crime. Em seguida foi a vez de Vagner Andrade Pimenta, o Misael, deixar o Ministério Flor de Lis, alegando que não tinha como continuar na igreja sem a presença do pai. Em seu depoimento, Misael chegou a apontar Flordelis como a mentora intelectual do crime.

A tensão entre os dois aumentou em junho, quando a deputada resolveu exonerar a esposa de Misael, Luana Rangel, que trabalhava como secretária parlamentar. Ela também atuava na igreja da família.

Na última semana a sede da igreja, em Itaboraí, foi alvo de furto e teve um teclado, uma televisão e um notebook que seria de Misael foram levados. O computador era usado para armazenar documentos sobre as finanças da igreja.

Veja a reportagem: