Polícia prende suspeito em operação contra roubo de carros no RJ

Ação tenta cumprir também 11 mandados de busca e apreensão contra uma quadrilha que atua na zona oeste do Rio de Janeiro e em Itaguaí, na Baixada

Reprodução/Record TV Rio

A Polícia Civil prendeu na manhã desta terça-feira (3) um homem suspeito de participar de uma quadrilha que rouba carros de aplicativo e sequestra os motoristas, em Inhoaíba, na zona oeste do Rio de Janeiro. A ação ainda tenta cumprir um mandado de prisão preventiva e 11 de busca e apreensão.

Incêndio atinge cobertura de prédio no centro do Rio de Janeiro

O grupo costumava pedir carros de aplicativo entre os bairros de Campo Grande e Santa Cruz, na zona oeste da cidade, com corridas em direção a Itaguaí, na Baixada Fluminense. No caminho, os suspeitos anunciavam o sequestro e mantinham o motorista do veículo em cárcere por algumas horas.

Em seguida, a quadrilha levava o carro até um receptador e, deste local, pedia uma nova corrida em aplicativos em direção ao cativeiro, iniciando, mais uma vez, o ciclo para os crimes. De acordo com o delegado da 50ª DP (Itaguaí), Marcos Santana, a quadrilha chegava a roubar seis veículos por noite.

Ainda de acordo com as investigações, os receptadores mudavam características do carro, como chassi e placas, e revendiam os veículos como semi-novos.

Este é o desdobramento de uma operação que aconteceu em agosto e conseguiu prender dois suspeitos de participar da quadrilha, além de apreender um menor de idade e identificar outro suspeito, que continua foragido.

Segundo a Polícia Civil, a quadrilha recebia de R$ 500 a R$ 1.000 por carro entregue aos receptadores. Os valores variavam de acordo com o modelo e estado de conservação do veículo roubado.

“Três carros que o amigo quer, tá (sic) ligado? Cada carro é R$ 1.000, mano. É R$ 1.000 para cada um, três carros. R$ 1.000 para cada um no final de tudo, fora o telefone que vem do Uber, o pertence, o dinheiro...”, disse um dos investigados e conversas interceptadas pela polícia.

Durante a segunda fase, os agentes cumprem os mandados na capital e em cidades da Baixada Fluminense, região metropolitana, região serrana e região dos lagos.

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa