Rio de Janeiro Polícia prende um dos chefes da maior facção criminosa do Brasil

Polícia prende um dos chefes da maior facção criminosa do Brasil

"Galã" controlaria o tráfico na fronteira entre o Brasil e o Paraguai após ter planejado a execução do antigo líder da região, segundo a polícia

Polícia prende um dos chefes da maior facção criminosa do Brasil

Segundo a Polícia, o suspeito era um dos líderes do PCC

Segundo a Polícia, o suspeito era um dos líderes do PCC

Reprodução/RecordTV Rio

Policiais da Desarme (Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos) prenderam nesta quarta-feira (28) Elton Leonel Rumich da Silva, 34 anos, conhecido como Galã. Segundo a polícia, ele seria um dos principais líderes ainda em liberdade do PCC (Primeiro Comando da Capital).

O suspeito foi surpreendido enquanto fazia uma tatuagem em um estúdio no bairro Ipanema, na zona sul do Rio. Ele teria sido reconhecido mesmo após apresentar um documento de identidade falso.

Mais: Gegê do Mangue foi morto por gerente de Marcola, diz bilhete

Segundo informações da Polícia Civil do Rio de Janeiro, os agentes já haviam feito seu reconhecimento após uma troca de informações com a Inteligência da Polícia Civil de São Paulo.

Elton é acusado de ter planejado a morte do então chefe do tráfico na fronteira entre Brasil e Paraguai, Jorge Rafaat Toumani, em junho de 2017, com o objetivo de tomar para o PCC o controle na região.

Procurado nos dois países citados, Rumich teria sido vítima de uma emboscada em junho de 2017. Ele foi baleado duas vezes. Durante a ação, quatro brasileiros morreram na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero.

Entenda: Quem é Fuminho, o sócio de Marcola 'atravessado' por Gegê

Ainda segundo a polícia, Rumich usava diversos nomes falsos, como: Ronald, Rodrigo Benites, Oliver Giovanni da Silva, Elton da Silva Leonel, Gallant, Galan e Pakito.

Galã está sendo autuado em flagrante pelo uso de documento falso e sendo recapturado, já que ele era foragido.

O R7 tentou contato com os advogados do suspeito, mas não obteve resposta.

*Sob supervisão de Celso Fonseca

    Access log