Rio de Janeiro Polícia prende um dos milicianos mais procurados do RJ

Polícia prende um dos milicianos mais procurados do RJ

Segundo a polícia, Macaquinho foi encontrado na casa de um parente, escondido debaixo de uma cama

  • Rio de Janeiro | Do R7, com Renata Loures, da Record TV

O miliciano conhecido como Macaquinho, que estava na lista dos criminosos mais procurados do Rio Janeiro, foi preso pela força-tarefa de combate às milícias da Polícia Civil no morro do Campinho, na zona norte da capital, nesta quinta-feira (12).

Força-tarefa da Polícia Civil prendeu miliciano

Força-tarefa da Polícia Civil prendeu miliciano

Tomaz Silva/Agência Brasil

De acordo com o delegado Rodrigo Oliveira, o homem foi localizado na casa de um parente, escondido debaixo de uma cama. A polícia negou que ele tenha reagido à ação, que contou com o apoio de um helicóptero.

Já o delegado Felipe Curi explicou que houve troca de tiros com seguranças do criminoso. Os suspeitos deixaram para trás dois fuzis, que foram apreendidos pela polícia.

Ele ressaltou, ainda, que outras lideranças da milícia, como o criminoso conhecido Tandera, já estão na mira da Polícia Civil, após esta importante prisão. 

Macaquinho é apontado como líder das comunidades de Morro da Rua Barão, Chacrinha, Fubá, Jordão e do Campinho, em Jacarepaguá, na zona oeste. Segundo informações do Portal dos Procurados, havia três mandados de prisão expedidos pela Justiça contra ele. 

O MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) ofereceu denúncia contra o preso nos anos de 2018 e 2019 pelos crimes de integrar organização criminosa, tráfico de drogas e de armas e extorsão.

A força-tarefa de combate às milícias registrou mais de 750 prisões desde outubro de 2020. As ações também resultaram na morte de 24 criminosos, entre eles o chefe da maior milícia do Estado, Wellington da Silva Braga, o Ecko, em junho deste ano.

Milícia na Baixada Fluminense

Também foi preso, hoje, o miliciano conhecido como Sardinha em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Ele é acusado de duplo homicídio qualificado, além de outros crimes, segundo a polícia. 

As investigações revelaram que o criminoso era conhecido pelo terror imposto aos moradores. Sardinha é acusado de espancar, torturar e matar dois moradores. Um deles teria sido morto por ter testemunhado o esturpro de uma adolescente de 15 anos. Já o segundo teria sido executado por ser usuário de drogas.

Contra ele foi cumprido mandado de prisão preventiva. A polícia ainda apreendeu uma pistola com kit rajada, uma réplica de farda da Polícia Militar e duas espadas.

Últimas