Rio de Janeiro Porta dos Fundos: vídeo mostra fuga de suspeito de ataque para Rússia

Porta dos Fundos: vídeo mostra fuga de suspeito de ataque para Rússia

Após repercussão do caso, informação ligou Eduardo Fauzi ao tráfico de mulheres. Mas fontes da polícia não confirmam investigação sobre o assunto

  • Rio de Janeiro | Bruna Oliveira, do R7, com Lucas Rocha, da Record TV Rio

Eduardo fugiu antes de ser alvo de operação

Eduardo fugiu antes de ser alvo de operação

Reprodução

Imagens de câmera de segurança do Aeroporto Internacional do Galeão, zona norte do Rio de Janeiro, registraram a fuga de Eduardo Fauzi Cerquize, um dos suspeitos de participar do ataque à sede do canal Porta dos Fundos, para a Rússia, no domingo (29) - dois dias antes de ser alvo de uma operação da Polícia Civil.

As imagens mostram que Eduardo chega de táxi ao aeroporto. Em seguida, passa pela esteira e embarca tranquilamente com destino a Moscou.

Ao tomar conhecimento da saída do suspeito do Brasil, a Polícia Civil solicitou à Interpol a inclusão do nome dele na lista de procurados.

Com a repercussão do caso, uma nova denúncia surgiu contra o suspeito, que já tem uma ficha com 20 anotações criminais. Uma pessoa teria acusado Eduardo de envolvimento com o tráfico de mulheres. No entanto, fontes da polícia não confirmam que exista qualquer depoimento oficial ou investigação aberta sobre o assunto.

A 10ª DP (Botafogo), responsável pela investigação do ataque ao grupo de humor, continua trabalhando para avançar no caso. Além de tentar identificar outros suspeitos de participação no crime, a polícia apura os últimos passos de Eduardo, assim como envolvimento de funcionários e amigos que possam ter dado apoio  ao foragido no crime, além do veículo utilizado na ação.

Ataque ao Porta dos Fundos

O ataque ocorreu no último dia 24. De acordo com a assessoria de imprensa do grupo, a produtora teve a fachada atingida por coquetéis molotv. Um dos seguranças conseguiu controlar o princípio de incêndio no local e ninguém ficou ferido.

A motivação do crime teria sido o especial de Natal lançado em uma plataforma de streaming, que recebeu críticas pela maneira desrespeitosa como retratou Jesus.

Após o ataque, o grupo divulgou uma nota em que condenou qualquer ato de violência e pediu que os responsáveis fossem encontrados e punidos.

Últimas