Rio de Janeiro Rio tem aumento de 62% nos tiroteios após intervenção federal

Rio tem aumento de 62% nos tiroteios após intervenção federal

Os números foram coletados pelo laboratório sobre violência armada Fogo Cruzado, até às 9h deste sábado (15)

intervenção federal e aumento de tiroteios

Foram registrados 5.857 tiroteios na Região Metropolitana

Foram registrados 5.857 tiroteios na Região Metropolitana

Jose lucena/Futura Press/Folhapress - 07.03.2018

O número de tiroteios registrados no Rio de Janeiro aumentou 62% nos últimos setes meses sob intervenção federal na Segurança Pública, comparado com o mesmo período do ano passado. Os números foram coletados pelo laboratório sobre violência armada Fogo Cruzado, até às 9h deste sábado (15).

Governo libera R$ 1,2 bilhão para intervenção federal no Rio

Foram registrados 5.857 tiroteios na Região Metropolitana. No mesmo período do ano passado, foram 3.617. O município que apresentou o maior aumento foi o de Belford Roxo, na Baixada Fluminense (428%).

Nos sete meses de intervenção, os municípios mais afetados por registros de tiroteios/disparos de arma de fogo foram Rio de Janeiro (3454), São Gonçalo (602) e Belford Roxo (433). A capital foi também a que registrou a maior quantidade de mortos (304) e feridos (407) por armas de fogo.

Interventor autoriza compra de R$ 76 mi em coletes à prova de balas

Os bairros que lideraram o ranking de incidência de tiroteios foram Vila Kennedy (217), Praça Seca (181), Complexo do Alemão (150), Cidade de Deus (140) e Tijuca (134), todos na capital.

Deste número, 1218 tiroteios ocorreram em áreas de UPPs, além de 90 mortos e 104 feridos. No período da intervenção, 14 crianças foram baleadas, todas vítimas de balas perdidas - duas delas morreram e 12 ficaram feridas. No mesmo período, foram ao menos 41 adolescentes baleados - 19 faleceram e 22 ficaram feridos.

Segundo o balanço, no período da intervenção, 50 agentes de segurança morreram vítimas de armas de fogo e 122 ficaram feridos, mais da metade deles na capital - 29 e 75 respectivamente. Foram registradas 229 horas e 20 minutos de tiroteios contínuos - casos que perduram 02 ou mais horas - distribuídas por 49 eventos