Rio de Janeiro RJ: Conselho manda MPF arquivar investigação de músico fuzilado

RJ: Conselho manda MPF arquivar investigação de músico fuzilado

Militares envolvidos foram soltos; única ministra a votar contra a soltura, disse que "tinha dúvidas se o mesmo ocorreria com um loiro em Ipanema"

RJ: Conselho manda MPF arquivar investigação de músico fuzilado

Evaldo Rosa teve o carro fuzilado com 80 tiros

Evaldo Rosa teve o carro fuzilado com 80 tiros

Reprodução/ Record TV Rio

O  Conselho Nacional do Ministério Público decidiu por maioria que o caso do músico Evaldo Rosa, morto com mais de 80 tiros em uma ação do Exército em Guadalupe, na zona norte do Rio, deixe de ser investigado pelo MPF. O catador Luciano Macedo também foi atingido pelos disparos e morreu.

"Falaram que era bandido", diz irmã de vítima fuzilada pelo Exército

O Ministério Público Militar ficará a frente das investigações para apurar e buscar a persecução penal dos militares do Exército, que teriam efetuado os 80 tiros contra o carro da família, que levava, além de Evaldo, outros quatro familiares do músico, incluindo seu filho de sete anos.


No dia 24 de maio, os nove militares envolvidos no caso que estavam presos foram soltos. No julgamento, a única ministra do STM (Superior Tribunal Militar) a votar contra a soltura disse que “tinha dúvidas se o mesmo ocorreria com um loiro em Ipanema”.

Assista ao vídeo:

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa