Rio de Janeiro RJ: Leilão de concessão da Cedae está previsto para abril de 2021

RJ: Leilão de concessão da Cedae está previsto para abril de 2021

Governo do Rio quer assinar contrato com concessionárias até o fim do primeiro semestre de 2021; valor mínimo é de R$ 10,6 bi

  • Rio de Janeiro | Da Agência Brasil

Resumindo a Notícia

  • Edital de concessão foi publicado nesta terça-feira (29).
  • Projeto prevê que serviços passem passem para iniciativa privada por 35 anos.
  • Interessados terão 120 dias para apresentar propostas.
  • 80% dos recursos da concessão serão destinados ao Estado do Rio.
Edital de concessão foi publicado nesta terça (29)

Edital de concessão foi publicado nesta terça (29)

José Lucena/Folha Press/Estadão Conteúdo

O leilão de concessão da Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgoto) deverá ocorrer no dia 30 de abril de 2021, de acordo com o governo do estado do Rio de Janeiro. A expectativa é que os contratos com as concessionárias sejam assinados até o fim do primeiro semestre de 2021. O edital de concessão da empresa foi publicado nesta terça-feira (29), no Diário Oficial do estado.

A concessão dos serviços da Cedae prevê que a distribuição de água e a coleta e tratamento de esgoto nos municípios do estado, que atualmente são responsabilidade da empresa, passem para a iniciativa privada pelo período de 35 anos.

Segundo o edital, os interessados terão até 120 dias para apresentar suas propostas. O critério de licitação será o de maior outorga, ou seja, o valor repassado ao governo em troca da exploração do serviço. O valor mínimo é de R$ 10,6 bilhões. A maior parte desses recursos, 80% será destinada ao estado do Rio, outros 15% aos municípios e 5% ao Fundo Metropolitano. As cidades ainda passam a receber 3% da arrecadação tarifária das concessões.

A Cedae será dividida em quatro blocos, sendo que cada um deles corresponderá a prestação de serviço em uma área do estado. Ao todo, 35 cidades estão incluídas no processo de concessão. Uma empresa ou consórcio pode levar mais de um bloco, desde que fique comprovado, por meio de habilitação técnica, a capacidade de garantir os investimentos para a universalização do saneamento.

O edital prevê ainda que os concessionários terão obrigação de investir pelo menos R$ 1,86 bilhão em regiões mais carentes do Rio de Janeiro. Deverão aplicar, nos 5 primeiros anos, R$ 2,6 bilhões no combate à poluição na Baía de Guanabara; R$ 2,9 bilhões no Rio Guandu; e R$ 250 milhões no Complexo Lagunar da Barra da Tijuca.

A expectativa é que sejam investidos R$ 30 bilhões em água e esgotamento sanitário e que sejam gerados até 46 mil postos de trabalho diretos e indiretos por todo o estado em obras e serviços relacionados à concessão. A coleta e o tratamento de esgoto deverão chegar a 13 milhões de pessoas. De acordo com documento divulgado pela Cedae, não poderá haver aumento real da tarifa aos consumidores. Será permitido apenas o reajuste da inflação.

Últimas