RJ vai promover aulas online para alunos da rede pública estadual

Secretaria de Estadual de Educação firmou parceria com a empresa Google para manter atividades escolares em meio à pandemia do novo coronavírus

Aulas serão transmitidas para estudantes da rede pública

Aulas serão transmitidas para estudantes da rede pública

Divulgação/MCTIC

O governo estadual anunciou nesta terça-feira (24) que firmou uma parceria com a empresa Google para promover aulas online para estudantes da rede pública de ensino. A medida tem como objetivo dar continuidade às atividades escolares em meio à pandemia do novo coronavírus

Estado do Rio confirma 6ª morte e 305 casos da covid-19

Antes previsto para o dia 30, o retorno das aulas presenciais foi adiado por tempo indeterminado, já que as medidas restritivas de circulação foram intensificadas pelo governador Wilson Witzel. 

RJ: universidades promovem aulas online durante quarentena

Para os alunos que não têm acesso à internet, a Seeduc (Secretaria Estadual de Educação) vai oferecer o material impresso nas residências dos estudantes.

Em caso de necessidade, eles poderão ter aulas reforço, quando a atividade presencial for normalizada.

Já a definição sobre o método de avaliação e o calendário de provas bimestrais ainda depende do tempo de interrupção do trabalho nas escolas.

"A ideia é manter os 200 dias letivos, mesmo que a Lei de Diretrizes e Base da Educação permita que diante da pandemia do coronavírus os estados terminem o ano letivo de 2020 com menos dias. O objetivo da Seeduc é não prejudicar nem desestimular os alunos durante o período de quarentena. As horas de aulas à distância serão contadas como horas-aula normais", disse o secretário de Estado de Educação, Pedro Fernandes.

Ainda de acordo com a Secretaria Estadual de Educação, os professores da rede pública ficarão responsáveis por administrar as atividades na plataforma online, respeitando o quadro de horários das aulas presenciais.

Além disso, as Gratificações por Lotação Temporária (GLPs) dos docentes também estão mantidas, segundo o governo estadual.

A Seeduc adiantou ainda que as escolas particulares que não tiverem a própria plataforma podem buscar a viabilização do serviço junto ao Google.

Merendas

Em relação à merenda, o secretário de Estado de Educação também ressaltou que os estudantes cujas famílias são beneficiárias do Bolsa Família receberão uma assistência quanto à alimentação.

"As direções dos colégios relacionarão esses estudantes para que a Seeduc viabilize recurso junto ao Governo do Estado para a alimentação dos jovens, uma vez que muitos têm como refeição principal a merenda servida nos colégios", declarou Pedro Fernandes.