Rio de Janeiro Rosinha Garotinho é alvo de ação contra suspeita de corrupção na previdência de Campos (RJ)

Rosinha Garotinho é alvo de ação contra suspeita de corrupção na previdência de Campos (RJ)

Policiais federais cumpriram 18 mandados de busca e apreensão durante a Operação Rebote

  • Rio de Janeiro | Da Agência Brasil, com R7

Policiais cumpriram cerca de 18 mandados de busca e apreensão

Policiais cumpriram cerca de 18 mandados de busca e apreensão

Divulgação/Polícia Federal

Policiais federais cumpriram, nesta terça-feira (28), 18 mandados de busca e apreensão para apurar suspeita de corrupção no Previcampos (Instituto de Previdência de Campos dos Goytacazes), no norte fluminense, durante a Operação Rebote. 

Um dos alvos da ação foi a ex-governadora fluminense (2003 a 2006) Rosinha Garotinho, que, na época dos fatos apurados, era a prefeita de Campos (2009 a 2016).

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

Segundo a PF (Polícia Federal), as fraudes ocorriam com a utilização de uma empresa de consultoria que realizava, de acordo com a polícia, lobby entre os fundos de investimento e os responsáveis pela Previcampos.

As investigações mostram que o dinheiro foi desviado por meio da compra de “títulos podres”, ou seja, títulos de baixa qualidade em que os emissores não costumam pagar os investidores.

Rosinha se defendeu em vídeo

Em vídeo publicado nas redes sociais do marido, o também ex-governador (1999 a 2002) e ex-prefeito de Campos (1989 a 1992; 1997 a 1998) Anthony Garotinho, Rosinha disse que a única acusação que pesa contra ela é ter indicado gestores e membros do comitê da Previcampos que “aparentemente” não tinham conhecimento para o exercício das funções.

“Dizer que aparentemente as pessoas possam não ser qualificadas é um achismo. Não é nem uma afirmação”, disse Rosinha. “Essa foi a acusação [contra mim]. É um absurdo, é só para fazer mais um escândalo, mais uma perseguição contra a nossa família. O fundo de previdência nem passa pelo prefeito. Não sou [não fui] ordenadora de despesa.”

Últimas