Rio de Janeiro “Seja quem for, quero justiça”, diz Flordelis sobre morte de marido

“Seja quem for, quero justiça”, diz Flordelis sobre morte de marido

Deputada federal diz acreditar que filhos não têm envolvimento na morte de Anderson e afirmou que não tinha conhecimento da arma do filho em casa

“Seja quem for, quero justiça”, diz Flordelis sobre morte de marido

Flordelis foi cercada por jornalistas ao sair de delegacia

Flordelis foi cercada por jornalistas ao sair de delegacia

Reprodução/Record TV Rio

A deputada federal Flordelis disse, nesta quarta-feira (19), que deseja justiça pela morte de seu marido, Anderson do Carmo, “seja quem for” o assassino. Parlamentar deu declaração ao sair da DHNSG (Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo), em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro.

Flordelis também afirmou que não acredita que algum de seus filhos tenham sido responsáveis pela morte de Anderson. A deputada foi visitar seu filho biológico, preso com um mandado de violência doméstica em aberto.

Perguntada sobre a arma encontrada em sua casa, no bairro de Pendotiba, em Niterói, durante buscas feitas pela Polícia Civil e o MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro), Flordelis declarou não ter conhecimento da pistola.

A parlamentar também afirmou aos repórteres que não sabe onde está o celular de Anderson. O aparelho foi o único que os agentes da DHNSG não encontraram durante a revista na casa da família, local onde o pastor foi vítima de diversos tiros.

A principal hipótese que a Polícia Civil trabalha é a de execução. Um dos filhos adotivos do casal assumiu a autoria do crime, versão que a família desmentiu por meio de nota.

Filho de deputada confessa que matou pai a mando do irmão

De acordo com a delegada Barbara Lomba, responsável pelo caso, a DHNSG tenta solucionar o crime da forma mais rápida possível.

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa