Rio de Janeiro 'Será que moro com um psicopata há 40 anos?', diz pai de Jairinho

'Será que moro com um psicopata há 40 anos?', diz pai de Jairinho

Coronel Jairo disse em audiência que leu nove livros sobre psicopatia e que filho não tem características do transtorno

  • Rio de Janeiro | Fernanda Macedo, da Record TV Rio

Coronel Jairo foi ouvido durante audiência que apura a morte de Henry Borel

Coronel Jairo foi ouvido durante audiência que apura a morte de Henry Borel

Reprodução/TJRJ

Quarta pessoa a ser ouvida, na terça-feira (14), durante audiência de instrução e julgamento do processo que apura a morte de Henry Borel Medeiros, aos 4 anos, Jairo de Souza Santos, o Coronel Jairo, disse que estudou para saber se Jairinho é um psicopata. O deputado estadual disse ainda que é estudioso e que leu nove livros sobre o assunto após o início das investigações sobre a morte da criança. Mas concluiu que o ex-vereador não apresenta transtorno mental.

"Meu Deus, será que eu moro com um psicopata há 40 anos e não sei? Foi o que pensei. Mas sou estudioso, li nove livros de psicopatia [...], e percebi que a psicopatia não se encaixava no Jairinho", declarou durante a audiência.

Durante o depoimento, que durou cerca de 1h30, Coronel Jairo disse ainda que acredita na inocência do filho e que também estaria ao lado de Jairinho se ele fosse culpado. "Se ele fosse culpado, eu estaria ao lado dele."

A juíza Elizabeth Machado Louro, da 2ª Vara Criminal da Capital, ouviu nesta terça-feira uma testemunha de acusação, sete de defesa de Jairinho e duas testemunhas arroladas pelos advogados de Monique Medeiros. Nesta quarta-feira (15) está previsto o depoimento de pelo menos dez testemunhas de defesa da professora.

Monique e Jairinho foram presos no dia 8 de abril pelos crimes de homicídio qualificado (por motivo torpe, com recurso que dificultou a defesa da vítima e impingiu intenso sofrimento, além de ter sido praticado contra menor de 14 anos), tortura, coação de testemunha, fraude processual e falsidade ideológica.

Últimas