Sérgio Cabral é condenado, e penas somadas chegam a 197 anos

Juiz federal Marcelo Bretas sentenciou ex-governador a 14 anos e cinco meses de prisão. Irmão de Cabral também foi condenado na mesma ação

Sérgio Cabral é condenado a mais 14 anos de prisão

Sérgio Cabral está preso há dois anos

Sérgio Cabral está preso há dois anos

Reprodução RecordTV Rio

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral foi condenado, nesta segunda-feira (3), a mais 14 anos e cinco meses de prisão pelo crime de lavagem de dinheiro. A decisão é do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. Somadas, as penas de Cabral em diferentes processos chegam a 197 anos e seis meses.

Pezão sucedeu Cabral em esquema de corrupção, diz Raquel Dodge

O irmão do ex-governador está entre os cinco condenados na mesma ação. Maurício Cabral recebeu uma pena de quatro anos e seis meses de reclusão em regime semiaberto.

De acordo com a denúncia do MPF (Ministério Público Federal), cerca de R$ 1,7 milhão em propina foram lavados por meio de empresas de fachada. Os recursos foram desviados de obras, como a urbanização do Complexo de Manguinhos, entre os anos de 2007 e 2014.

Em sua decisão, o juiz destacou que "como agente político, Sérgio Oliveira Cabral dos Santos Filho desviou-se de suas atribuições públicas para se dedicar a práticas delituosas durante os anos em que esteve à frente do Governo do Estado do Rio de Janeiro, beneficiando-se do dinheiro público desviado e branqueado por sua organização criminosa altas somas de dinheiro, a fim de satisfazer sua ambição desmedidas. Seu agir revela, portanto, dolo intenso".

Procurada pelo R7 por telefone, a defesa de Sérgio Cabral ainda não respondeu aos contatos.

A defesa de Mauricio Cabral afirmou que ele é inocente. Os advogados Daniel Raizman e Fernanda Freixinho vão recorrer da sentença.Os defensores afirmaram que o juiz não avaliou adequadamente o conjunto probatório, em especial o depoimento do colaborador Carlos Miranda. Este declarou, na sua delação e ante o juízo, que Mauricio Cabral não participou do esquema criminoso.