Rio de Janeiro Suspeita de matar concorrente em mercado ilegal de implantes é presa

Suspeita de matar concorrente em mercado ilegal de implantes é presa

Fernanda Silva de Almeida, a Fernanda Bumbum, foi encontrada em Nova Iguaçu; Polícia diz que crime ocorrido em 2017 foi motivado por disputa

Morte Implante Clandestina

Leni e Diego foram mortos por ordem de Fernanda, diz polícia

Leni e Diego foram mortos por ordem de Fernanda, diz polícia

Divulgação/Polícia Civil

Fernanda Silva de Almeida, de 49 anos, conhecida como Fernanda Bumbum, e Natália Alves de Souza, 33 anos, a Naty, foram presas na sexta-feira (18) suspeitas de participar diretamente da morte de Marcilene Soares Gama, a Leni, no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste do Rio de Janeiro, em julho de 2017.

Natália foi encontrada na cidade de Lucélia, em São Paulo, e Fernanda, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Investigações da DHBF (Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense) apontam que Fernanda Bumbum contratou Diego Luiz Teodoro Santos, de 29 anos, para matar Marcilene pelo valor de R$ 10 mil.

Já Natália, a outra suspeita, ficou responsável por fornecer informações sobre a rotina de Marcilene, como dados e fotos do endereço de sua residência, chegando até a se hospedar na casa da vítima.

A arma usada no crime e bens encontrados na casa da vítima também fariam parte do pagamento. De acordo com a DHBF, Santos foi morto dois dias depois do assassinato de Marcilene, em São João de Meriti.

O crime, segundo a Polícia Civil, foi motivado pela disputa entre Fernanda e Leni por espaço no mercado clandestino de próteses e preenchimentos para mudar o tamanho de partes do corpo.

Já a morte de Santos continua sendo investigada pela delegacia especializada, conforme informou a polícia por nota.

O R7 tentou, mas não conseguiu localizar as defesas de Fernanda e Natália. O espaço está aberto para manifestação.

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa

    Access log