São Paulo Adolescente é internada após ação da GCM em São Caetano do Sul (SP)

Adolescente é internada após ação da GCM em São Caetano do Sul (SP)

Guarda Civil Municipal participa de reintegração de posse em um terreno que abrigava mais de 100 famílias, no ABC Paulista

  • São Paulo | Laura Augusta*, da Agência Record

GCM em reintegração de posse no ABC

GCM em reintegração de posse no ABC

Reprodução

Uma menina de 13 anos foi internada após inalar gás de pimenta durante ação da GCM (Guarda Civil Municipal) de São Caetano do Sul, na região do ABC Paulista, durante uma reintegração de posse no bairro Fundação, na manhã desta quinta-feira (3).

De acordo com testemunhas, os desentendimentos começaram na tarde de quarta-feira (2), quando iniciou o processo de reintegração. Após serem desalojados, as cerca de 130 famílias que moravam no local ocuparam o Cras (Centro de Referência de Assistência Social), em protesto.

Cilmara, que é moradora do local, relatou à reportagem que a GCM efetivou uma ação para bloquear não apenas a entrada e saída dos desalojados, mas também a entrega de água e alimentos que foram arrecadados pelas famílias com o apoio de uma vereadora que atua em um mandato coletivo em São Caetano do Sul.

A moradora afirma que a GCM instalou tapumes no Cras e violentou as pessoas que estavam no local com gás de pimenta. A filha dela, de 13 anos, foi atingida pelo gás e encaminhada pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para um hospital da região. A menina tem asma.

Segundo as testemunhas, a GCM afirma que por ser feriado, o terreno não pode acolher as famílias. Por meio de nota, a prefeitura disse que a guarda municipal vai permanecer em frente ao Cras "o tempo que for necessário".

Veja a íntegra da nota da prefeitura:

"A questão do projeto de construção de unidades habitacionais no local onde foi demolido o Edifício Di Thiene, que é particular, continua em poder da Secretaria de Habitação do Estado de São Paulo.

Sensível às necessidades destas pessoas, a Prefeitura pagou auxílio aluguel às 100 famílias que moravam no local, em 18 parcelas, sendo R$ 800 na primeira parcela e R$ 400 nas subsequentes.

Antes da reintegração de posse, a Prefeitura e a PM realizaram reunião com uma comissão de moradores do Edifício Di Thiene e foi conversado, passadas todas as ações realizadas em benefício, inclusive um possível local de construção, ofertados pela Prefeitura para a CDHU. Nesta mesma reunião, em nenhum momento a Prefeitura garantiu a retomada do auxílio aluguel, fato que, inclusive, a PM em ata anexou ao processo de reintegração de posse.

A GCM (Guarda Civil Municipal) permanecerá o tempo que for necessário no CRAS, salvaguardando o próprio público e servindo a população, duas de suas principais funções.

Ante a inusitada invasão no Cras e sob o imperativo da celeridade processual, na manhã de hoje, na própria Ação de Reintegração de Posse determinada pela juíza da segunda Vara Cível da Comarca local, o município de São Caetano do Sul, além dos esclarecimentos acerca das providências tomadas no atendimento aos invasores, postulou - em tutela de urgência - a evacuação das dependências municipais."

*Estagiária sob supervisão de Mariana Rosetti, da Agência Record

Últimas