São Paulo Após quase 10 horas bloqueada, Marginal Tietê é liberada

Após quase 10 horas bloqueada, Marginal Tietê é liberada

Estrutura metálica caiu sobre dois ônibus e um carro, deixou duas pessoas levemente feridas e causou a interrupção total da via

Dois ônibus e um carro foram atingidos pela passarela de apoio que caiu sobre a marginal do Tietê

Dois ônibus e um carro foram atingidos pela passarela de apoio que caiu sobre a marginal do Tietê

WILLIAN MOREIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Após quase dez horas bloqueada por causa da queda de uma passarela, a Marginal Tietê, sentido Castello Branco, em São Paulo, foi totalmente liberada para o trânsito de veículos por volta das 4h40 desta sexta-feira (15), segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

As pistas local e central foram desobstruídas por volta das 2h20 desta sexta-feira, enquanto parte da expressa já havia sido liberada à 21h40 desta quinta-feira. As duas faixas da pista da expressa que estavam sendo usadas para a remoção de materiais e pedaços passarela foram liberadas às 4h40. A informação foi confirmada pelo repórter Lucas Carvalho, da Record TV

Localizada no sentido Rodovia Castello Branco, perto da alça de acesso para a Rodovia Anhanguera, a passarela desabou por volta das 19h20 desta quinta-feira, quando chovia intensamente na capital. A estrutura metálica caiu sobre dois ônibus e um carro, deixou duas pessoas levemente feridas e causou a interrupção total da via.

Os dois feridos estavam em um veículo Chevrolet, modelo Cobalt, e sofreram escoriações leves. Eles foram encaminhados Pronto Socorro Metropolitano da Lapa, na zona oeste de São Paulo. Os ocupantes dos dois ônibus atingidos não sofreram ferimentos.

Leia também: Última vistoria identificou falhas em 571 viadutos, pontes e túneis de SP

Um dos coletivos atingidos pertence à empresa Lirabus que faz fretamentos ligando São Paulo às cidades de Guarulhos, Campinas, Jundiaí, Indaiatuba, Vinhedo, Limeira e Sorocaba. O outro ônibus é da empresa Real Maia, que realiza viagens interestaduais cobrindo nove estados do país.

A Prefeitura informou que a passarela foi construída pelas empresas EIT e Constran para passagem dos operários que trabalham na obra da ponte Lapa-Pirituba. Em nota, as empresas lamentaram o ocorrido e afirmaram estar apurando as causas o acidente.

Congestionamento acima da média

Em consequência da queda da passarela, foram registrados 6 quilômetros de congestionamento na marginal. Às 19h30, a CET registrou 176 km de congestionamento na cidade, índice acima da média para o horário.