São Paulo Após queda de avião em SP, avenida Braz Leme é totalmente liberada

Após queda de avião em SP, avenida Braz Leme é totalmente liberada

Trecho onde o avião caiu, na altura do número 1300, estava bloqueado desde a queda, que ocorreu na última quarta-feira (8), às 18h

  • São Paulo | Laura Lourenço, da Agência Record

Queda ocorreu na quarta-feira (8), às 18h

Queda ocorreu na quarta-feira (8), às 18h

Reprodução/ Record TV

Após queda de aeronave, a avenida Braz Leme, em Santana, na zona norte de São Paulo, foi totalmente liberada por volta das 12h desta quinta-feira (9), de acordo com a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). Equipes da perícia e do CENIPA (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) iniciaram investigações no local.

Leia também: Avião de pequeno porte cai na zona norte de São Paulo

O trecho onde o avião caiu estava bloqueado desde a queda, que ocorreu na última quarta-feira (8), às 18h. Os agentes ainda contaram com a ajuda de um drone que mapeou a área da zona norte para entender as causas do acidente.

Paulo Magalhães Pereira, de 48 anos, morreu após a cair com um avião bimotor prefixo PR-OFI, da fabricante Beech Aircraft, modelo BE-58 próximo a uma faixa de ciclistas que cruza a avenida Braz Leme, na altura do número 1300.

O piloto estava sozinho no momento da queda e chegou a fazer contato com a torre de comando do aeroporto Campo de Marte dizendo estar com problemas na aeronave.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o avião estava vindo de Ubatuba, cidade do litoral norte de São Paulo, a caminho do Campo de Marte. Testemunhas contaram que o avião perdeu altitude, tentou subir novamente, mas logo em seguida despencou e por muito pouco não atingiu os carros e pessoas que caminhavam e andavam de bicicleta na ciclovia.

As causas do desastre ainda são desconhecidas e serão investigadas pelo Seripa (Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos). De acordo com o registro junto à Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), a documentação do avião está regular.

Em nota, a Infraero lamenta o acidente ocorrido com o avião na tentativa de pouso no Campo de Marte.

“Mais um acidente aéreo no Campo de Marte. Reafirmo minha defesa no encerramento das atividades deste aeroporto, mantendo apenas pousos e decolagens de helicópteros. Inúmeros acidentes com vítimas já aconteceram ali. Minha solidariedade aos familiares do piloto que perdeu sua vida”, disse o governador Doria, em nota.

O corpo de Paulo Magalhães Pereira ainda está no IML (Instituto Médico Legal) Central, em São Paulo.

Últimas