São Paulo Arquitetos responsáveis por Novo Anhangabaú rebatem críticas

Arquitetos responsáveis por Novo Anhangabaú rebatem críticas

Grupo defendeu que maioria dos comentários negativos tiveram como base fotos da obra em andamento: "Estamos seguros de que vão apreciar"

  • São Paulo | Do R7

Obras tiveram aumento do custo da obra em mais de 17 milhoes de reais

Obras tiveram aumento do custo da obra em mais de 17 milhoes de reais

ANDERSON LIRA/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Após receberem críticas pelo andamento das obras para a requalificação do Vale do Anhangabaú, no centro de São Paulo, os arquitetos responsáveis pela ideia foram às redes sociais neste sábado (1º) para rebater os questionamentos. O grupo Biselli Katchborian Arquitetos Associados defendeu que maioria dos comentários tiveram como base fotos da obra em andamento e mostrou confiança no resultado final, a ser entregue em setembro: "estamos seguros de que vão apreciar".

Leia mais: Seguranças do Metrô de SP começam a usar câmeras em uniforme

O grupo também desmentiu informações de que o novo Anhangabaú terá menos árvores. "Alguns imputaram ao projeto a pecha de aniquilador do verde, sendo que nele estarão mantidas as 355 árvores ali contidas anteriormente, ao que se somarão mais 125, incluídas neste novo desenho", escreveu o escritório.

O projeto de revitalização do local começou a ser elaborado em 2013, na gestão Fernando Haddad (PT). Em 2014, bancos, decks de madeira, paraciclos e áreas para atividades culturais chegaram a ser instalados na região. A previsão inicial era de que as obras custariam R$ 100 milhões e teriam início em 2016. A verba teria recursos da Operação Urbana Centro.

As obras no local foram novamente iniciadas pela gestão Covas em junho do ano passado, sofrendo com paralisações pela suposta falta de transparência na implementação do projeto. A meta era de entregar o espaço reformado exatamente um ano depois, com o investimento de R$ 80 milhões. As obras já tiveram um aumento de custo de 17 milhoes de reais a mais do que o previsto.

Ver essa foto no Instagram

NOTA DE ESCLARECIMENTO Durante a última semana acompanhamos uma batalha de opiniões acerca do nosso projeto de requalificação do Vale do Anhangabaú. Entendemos que nenhum projeto jamais será unânime, e as paixões envolvidas neste debate estão diretamente relacionadas à importância histórica e simbólica do Vale do Anhangabaú para a cidade de São Paulo, que tanto amamos. As discordâncias são parte de um ambiente democrático, da livre circulação de ideias, valores que nos são caros, e não deixa de ser um alento observar uma discussão tão ampla sobre Arquitetura. Entretanto, não podemos deixar de observar que muitas das opiniões se deram a partir de imagens da obra ainda em andamento. Apenas como exemplo, alguns imputaram ao projeto a pecha de aniquilador do verde, sendo que nele estarão mantidas as 355 árvores ali contidas anteriormente, ao que se somarão mais 125, incluídas neste novo desenho. Temos muito orgulho desta missão que chegou à nossa equipe a partir de concorrência pública, em um processo de desenvolvimento também público e amplo, com uma série de audiências, cujo histórico pode ser recuperado no site Gestão Urbana, da SP Urbanismo (https://gestaourbana.prefeitura.sp.gov.br/projetos-urbanos/anhangabau/). E encaramos tal missão com muita responsabilidade e cuidado. Gostaríamos de registrar o rigor técnico com o desenvolvimento e execução que perpassou duas gestões por vezes vistas como antagônicas pela opinião pública, o que nos tranquiliza quanto à consistência da proposta. Assim que inaugurado, em Setembro, convidamos a todos para que visitem pessoalmente o espaço para formar um juízo de valor baseado nessa experiência. Estamos seguros de que vão apreciar. E em nome dos valores democráticos e de rigor acadêmico que nos guiam, nos colocaremos sempre à disposição para o bom debate. Anunciamos também que, assim que as autoridades de saúde permitam, promoveremos visitas guiadas ao espaço, sempre usando as nossas redes sociais para a divulgação destas agendas. Biselli Katchborian Arquitetos Associados

Uma publicação compartilhada por Biselli Katchborian (@bisellikatchborian) em

Agora, o projeto deve ser entregue no mês de setembro. A associação afirmou que pode promover visitas guiadas ao espaço, caso as autoridades de saúde permitam, e mostrou confiança na recepção da população de São Paulo ao Novo Anhangabaú.

"Convidamos a todos para que visitem pessoalmente o espaço para formar um juízo de valor baseado nessa experiência. Estamos seguros de que vão apreciar. E em nome dos valores democráticos e de rigor acadêmico que nos guiam, nos colocaremos sempre à disposição para o bom debate". 

Últimas