São Paulo Atirador de Campinas já planejava ataque desde 2008, diz Polícia Civil

Atirador de Campinas já planejava ataque desde 2008, diz Polícia Civil

"A chacina está programada desde fim de 2008", escreveu o atirador em uma anotação achada pela polícia. Cinco pessoas morreram na ação

Atirador aparece em foto tirada em seu quarto com arma usada no crime

Atirador aparece em foto tirada em seu quarto com arma usada no crime

Divulgação/Polícia Civil

Segundo a Polícia Civil, Euler Fernando Grandolpho, o atirador que matou cinco pessoas e feriu outras três em Campinas (SP), já planejava o ataque ao menos desde 2008 e apresentava indícios de distúrbios mentais.

Os investigadores encontraram em anotações e áudios gravados pelo atirador e apreendidos em sua casa, que indicavam que ele já planejava um ataque. A Policia Civil também divulgou uma foto achada no material apreendido em que Euler Grandolpho aparece posando com a arma utilizada no crime. 

Leia mais: Realengo, paranoia e games: os detalhes do diário do atirador

Anotação feita pelo atirador que fala em "chacina"

Anotação feita pelo atirador que fala em "chacina"

Divulgação/Polícia Civil

"A chacina está programada desde fim de 2008 quando tinha (eu) mais consciência dos valores e me perguntava: o que estas aberrações estão fazendo?", escreveu Euler em uma de suas anotações.

No aúdio, deixado em um gravador apreendido pela polícia, Euler ainda faz um desabafo em tom de justificar o que pretendia fazer.

"Qualquer pessoa que tenha um mínimo de consciência faria o que eu vou fazer. Não tenho dúvida disso. É lamentável chegar nessa conclusão, mas é o que vai acontecer. Eu garanto que a minha alma vai ficar em paz", diz o atirador na gravação (Ouça abaixo).

O caso

Um atirador abriu fogo em uma catedral em Campinas, a 99 km de São Paulo, e deixou cinco pessoas mortas e três feridos,  em 11 de dezembro. Os disparos ocorreram, segundo o 8º Batalhão da Polícia Militar, dentro da Catedral Metropolitana, na região central do município.

A ação do atirador foi flagrada por câmeras de segurança instaladas dentro da igreja. Entre os mortos, estão quatro homens e uma mulher. O autor teria usado uma pistola automática e um revólver durante a ação e se matou após os disparos.

De acordo com uma funcionária da catedral, Terezinha Pereira dos Reis, os tiros ocorreram após o fim de uma missa. “Estava saindo apara almoçar e escutei muitos tiros”, disse ao R7. “O pessoal estava cantando e algumas pessoas ainda estavam dentro da catedral”, afirma.

Arte/R7